Marina Silva diz que vai ampliar cobertura de creches de 30% para 50%

Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil

A candidata da Rede à Presidência da República, Marina Silva, pretende aumentar a cobertura de creches para crianças do país de 30% para 50% até 2022. A ação integra o Programa Vida Digna, citado pela candidata em sabatina realizada hoje na capital paulista pela revista Veja. Sua proposta inclui ainda medidas na área da saúde e atendimento destinado às mulheres.

“Ontem, lançamos o programa Vida Digna para atender às pessoas na área de saúde, para atender à infância e atender às mulheres nas suas necessidades de se tornarem independentes, de terem acesso ao mercado de trabalho, de poderem ter uma formação em uma universidade”, disse a candidata.

Marina Silva, candidata à Presidência pela Rede, durante sabatina promovida pela revista Veja, em São Paulo.

Marina Silva, candidata à Presidência pela Rede, durante sabatina promovida pela revista Veja - Rovena Rosa/Agência Brasil


“Hoje [a rede de creches] tem uma cobertura de 30%; nós vamos ampliar para 50% até 2022. Nós vamos criar 400 regiões [administrativas] para o atendimento de saúde, reestruturando o SUS [Sistema Único de Saúde] e, com isso, nós vamos ajudar o Brasil a sair da crise que está vivendo em várias frentes: do desemprego, da segurança pública, da saúde, da educação”, acrescentou.

Marina disse que, caso seja eleita, vai recuperar a credibilidade do país para que o
Brasil volte a receber investimento e gere emprego e renda. Ela também defendeu o combate à corrupção. “Em torno de 6% do PIB, o equivalente ao que se gasta com educação, foi o dreno da corrupção entre empresários inescrupulosos e políticos inescrupulosos. É o dinheiro que falta no saneamento básico, na infraestrutura logística, é o investimento que falta nas casas populares, que cria emprego mais rápido”.

Em relação a impostos, ela disse ser contra a criação de uma nova CPMF, mas defendeu uma reforma tributária. “Os princípios da nossa reforma tributária é de simplificação, de descentralização, de combate à injustiça tributária - porque os mais pobres acabam pagando mais - e o princípio da impessoalidade. Com base nesses princípios, nós vamos fazer uma reforma tributária para que municípios não tenham que ficar com o pires na mão, sobrevivendo de mesadas, atrás do governo federal para tentar conseguir algum tipo de apoio”.

Energia limpa

De acordo com a candidata, haverá investimento em energia limpa, renovável e segura por meio do Programa Sol para Todos, o que ajudará também na recuperação de empregos. “Nós vamos criar 2 milhões de empregos em energia renovável, vamos fazer com que o Nordeste brasileiro seja o maior produtor de energia. Nós vamos produzir energia equivalente a uma [usina hidrelétrica de] Belo Monte utilizando o sol, tanto com investimentos de grande, como médio e pequenos [empresários]”.

“[Haverá] inclusive a geração de energia solar comunitária, alugando pequenas propriedades para que pequenos agricultores possam ter também direito a uma renda, além de poderem ter sua energia de graça”, acrescentou.

Marina destacou políticas dos governos anteriores, às quais deve dar continuidade, “Nós não temos preconceito contra legados, temos que corrigir o que está errado. Vamos recuperar o Plano Real, as políticas sociais, vamos implementar um sistema único de saúde que funcione, que seja rápido quando as pessoas precisam e que trate as pessoas com respeito”.