Marina Silva diz sofrer preconceito por ser evangélica

Fátima Meira/Futura Press

Pré-candidata à Presidência da República pela Rede, Marina Silva afirmou em sabatina ao portal “Metrópoles” que o maior preconceito que enfrenta é por causa de sua religião. Evangélica, ela garantiu que, se eleita, não deixará a fé interferir em decisōes de Estado.

Mulher, negra e de origens humildes, Marina disse ter passado a sofrer mais com o preconceito na vida política apenas depois de ter se convertido.

“Ao longo da minha vida, tive que enfrentar muitas dificuldades mas nunca percebi, desde que eu comecei a ocupar os espaços públicos, atitudes de preconceito contra a minha pessoa. Diria que, depois que me converti à fé cristã evangélica, é que esse preconceito às vezes é mais visível. Há uma tendência a generalizações”, declarou.

A pré-candidata também defendeu o respeito aos direitos LGBTs e disse que não modificará leis em função da religião.

“Quem vai governar, vai governar para todos. Agora, as pessoas têm o direito de expressar suas opiniões, sem preconceito e violência. Mas ninguém pode impor a quem crê ter que abrir mão das suas convicções”, observou.