Mário Frias anda armado e protagoniza “escândalos e ofensas” na Secretaria de Cultura

Mário Frias tem assustado os funcionários com seu comportamento - Foto: Agência Brasil
Mário Frias tem assustado os funcionários com seu comportamento - Foto: Agência Brasil
  • Mário Frias tem andado armado constantemente e assustado servidores na Secretaria de Cultura

  • Ex-ator seria responsável por protagonizar escândalos nos corredores do local

  • A insatisfação fez com que diversos funcionários relatassem o medo causado pelo secretário

Secretário especial da Cultura, Mário Frias tem protagonizado “escândalos e ofensas” no ambiente de trabalho e assustado colegas e subordinados. De acordo com informações divulgadas pelo UOL nesta terça-feira, são recorrentes as reclamações pelo fato de o ex-ator circular armado pelo local.

Uma das fontes ouvidas pelo site disse que a arma, constantemente visível na cintura de Frias, "gera mal-estar e desconforto entre funcionários e pessoas que se reúnem com o secretário".

Leia também

Funcionários contaram que Frias anda e despacha armado, e que o clima de tensão nos corredores é recorrente. Segundo relato, não são incomuns “escândalos e ofensas” dirigidos a subordinados e terceirizados.

Imagine esse contexto e o seu chefe com arma na cintura. O medo e a sensação de ameaça são constantes”, declarou ao UOL uma das fontes, que pediu para não ser identificada.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Apaixonado por armas, Frias já apareceu publicamente empunhando seu revólver em outras oportunidades. Uma delas, ao lado do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), em vídeo publicado por ele próprio nas redes sociais, no qual está praticando tiro.

Clima de DOI-CODI”

Há preocupação com o comportamento do secretário e de sua cúpula mesmo entre os servidores que não convivem diariamente com Frias. Fontes ouvidas pelo UOL explicaram que o ex-ator é responsável por boicotes, como falta de retorno às demandas e perseguição a servidores chamados, por exemplo, a dar informações ligadas à secretaria em audiências públicas.

Mário Frias é o secretário especial da Cultura do governo Bolsonaro - Foto: Marcos Corrêa/PR
Mário Frias é o secretário especial da Cultura do governo Bolsonaro - Foto: Marcos Corrêa/PR

De acordo com os relatos, alguns funcionários chegaram a utilizar a expressão “clima de DOI-CODI”, referindo-se ao órgão de repressão da ditadura militar no Brasil, para explicar a sensação causada por Frias e seus subordinados diretos.

Porte de arma

Mário Frias possui uma pistola Taurus .9mm registrada em seu nome, graças ao porte obtido no fim de 2020. Em dezembro daquele ano, ele solicitou o documento justificando que corria riscos ao ocupar o cargo de secretário especial de Cultura do governo de Jair Bolsonaro (sem partido).