Mario Frias diz que não se vacinou contra Covid-19 por ter tido enfarte e 'ser curioso'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO*** BRASILIA, DF,  BRASIL,  10-11-2020, 16h00: O secretário especial da Cultura, Mario Frias. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO*** BRASILIA, DF, BRASIL, 10-11-2020, 16h00: O secretário especial da Cultura, Mario Frias. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - O secretário especial da Cultura, Mario Frias, afirmou nesta segunda (8) no programa Opinião no Ar, da RedeTV, que não se vacinou contra a Covid-19.

"Na minha opinião é muito cedo para garantir que essa vacina surte algum efeito", disse Frias. "Eu, por exemplo, não me vacinei. Por que eu não me vacinei? Porque eu tenho dois stents hoje, eu tive um enfarte em dezembro do ano passado, e eu tomo seis medicamentos para afinarem o meu sangue."

Há uma série de estudos que mostram que o secretário está errado. Um levantamento recente realizado com quase 9 milhões de pessoas em Nova York mostrou que o risco de contrair Covid-19 foi muito menor nos vacinados do que nos não vacinados. Os resultados são ainda mais evidentes quando se analisam as hospitalizações.

"O mais interessante é que esse é apenas um de muitos estudos recentes confirmando o quanto as vacinas já salvaram de vidas ao redor do mundo. Mesmo assim, ainda há quem dissemine informações falsas sobre a efetividade e a segurança das vacinas", escreveu o epidemiologista e colunista da Folha Pedro Hallal.

"E eu sou uma pessoa curiosa. Hoje a informação está à disposição, apesar de a gente enxergar algum tipo de censura. Como curioso e principalmente pela minha saúde eu tenho receio da vacina", completou o ator.

Frias discutia a portaria publicada na manhã desta segunda que proíbe os proponentes de projetos culturais que captam recursos via Lei Rouanet de adotar o chamado passaporte da vacina, ou passaporte sanitário, "para a execução ou participação de evento cultural a ser realizado, sob pena de reprovação do projeto cultural e multa".

O passaporte da vacina consiste na obrigatoriedade da apresentação de comprovante de vacinação por parte de pessoas que visitam exposições, shows e demais eventos em equipamentos públicos que promovem aglomeração de pessoas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos