Marvel e DC proíbem venda de NFTs de super-heróis

·1 minuto de leitura
Ilustradores foram privados pelas produtoras de vender seus trabalhos. Foto: Getty Images.
Ilustradores foram privados pelas produtoras de vender seus trabalhos. Foto: Getty Images.
  • Ilustradores foram privados pelas produtoras de vender seus trabalhos

  • Decisão mostra a intenção de controlar as vendas de NFTs de personagens

  • As baixas remunerações a artistas são notórias na indústria

A Marvel e a DC passaram a proibir que ilustradores associados vendam cópias de obras originalmente publicadas em versão impressa. A decisão vem na contramão de uma tradição criada pelas duas empresas para que elas possam ter exclusividade ao entrar no mercado dos NFTs.

Aparentemente, as duas das maiores produtoras de histórias em quadrinhos querem manter o controle do total das vendas de produtos baseados em seus super-heróis.

Leia também:

Já tendo vendido uma versão digital do Homem-Aranha, o mercado dos tokens não é novidade para a Marvel. A partir da plataforma VeVe, espera-se que os criadores sejam recompensados com uma renda secundária por suas obras. A postura indica uma intenção de remediar uma situação já quase consolidada na indústria — as baixas remunerações dadas aos ilustradores.

Os NFTs (sigla em inglês para “token não fungível”) são uma tecnologia em que obras digitais têm sua autenticidade verificada através de uma blockchain — a rede de validação usada na autenticação de criptomoedas como Bitcoin. O formato tem caído nas graças de investidores e do mercado da arte. Nos últimos meses, obras de van Gogh e da Vinci e ilustrações de baleias criadas por um menino de 12 anos foram leiloadas.

As informações são do Exame.com.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos