Masvidal sugere que Conor não o desafiou após o UFC 246 por falta de ritmo

Estava tudo preparado antes mesmo da luta principal do UFC 246 acontecer. A beira do octógono estava Jorge Masvidal, de olho em Conor McGregor, que enfrentaria Donald Cerrone naquela noite em Las Vegas (EUA). Após o retorno triunfante do irlandês, com direito a nocaute em apenas 40 segundos de disputa, o público presente na ‘T-Mobile Arena’ aguardava por uma provocação ou desafio por parte do falastrão em direção a ‘GameBred’, que estava sentado a poucos metros de distância do cage. No entanto, em seu discurso após o confronto, ‘Notorious’ não direcionou suas palavras para alguém em específico, e o dono do cinturão ‘BMF’ (lutador mais durão) do Ultimate tem um palpite para justificar essa postura.

De acordo com Masvidal, Conor, apesar do retorno em grande estilo, ainda sente que não está na ‘ponta dos cascos’ após mais de um ano afastado do MMA. Na opinião do meio-médio (77 kg), o irlandês estava com a faca e o queijo na mão para promover uma possível superluta entre os dois, entretanto, segundo Jorge, McGregor ainda não se sente preparado para um desafio desse calibre atualmente.

“Ele está falando muita m***. Mas é porque ele não quer isso (lutar comigo). Ele poderia ter feito a promoção mais f*** da vida. Todos estavam querendo e falando sobre isso. Meio que entendemos para onde ele está levando isso. Certas coisas que ele disse no microfone soaram como se ele ainda não estivesse preparado, que ele precisa trabalhar nisso, treinar. Eu entendo, cara. Volte lá, tome seu tempo, quando sentir que está pronto para o desafio, faremos isso. Sem pressa. Enquanto isso, vou pegar o título. Vou surrar o Usman nesse meio tempo, e depois eu e Conor podemos conversar no futuro se ele quiser. Não estou aqui para fazer bullying até alguém aceitar uma luta, não insistirei”, opinou Jorge, antes de compreender a situação de ‘Notorious’.

“Conor esteve afastado por um tempo e estamos pedindo para que ele suba para uma categoria que não é a dele e lute com os caras mais durões da divisão. Deixe o cara voltar ao ritmo dele. Quanto ele se reencontrar e tiver espaço, ainda estarei no topo vencendo. Aí ele pode vir e bater na minha porta. Mas agora, pelo que ele falou logo após a luta, ele ainda quer engrenar um certo ritmo e lapidar algumas coisas. Alinhe isso e quando estiver pronto, entre em contato com minha equipe para negociarmos”, completou o americano, em participação no podcast ‘Le Batard and Friends’ dessa quinta-feira (23).

Apesar de elogiar a performance de Conor diante de ‘Cowboy’, Masvidal ressaltou que caso os dois entrassem em rota de colisão, o resultado seria diferente. O americano ainda indicou que Dana White, presidente do UFC, não manifesta tanto sobre um duelo entre os dois porque tem noção do perigo que Jorge representa para a imagem do astro irlandês.

“Com certeza machucarei esse cara. Essa é a principal razão para alguém esperto como o Dana White não querer realizar essa luta. Porque eles poderiam fazer uma superluta, mas isso prejudicaria a reputação do Conor. Ao invés disso, são lutas menores como essa última para ele continuar ganhando – e monetizar em cima da imagem dele como vencedor. Porque se você o trouxer para o meu lado, você vai monetizar em cima da derrota dele, e isso pode não render tanto quanto ele vencendo. É assim que o Dana White enxerga as coisas. Porque se ele vier me encarar, vai sair com uma derrota, com certeza. É melhor não colocarem esse menino lá dentro comigo”, concluiu ‘Gamebred’.

Com McGregor fora do radar no momento, Masvidal garantiu que está com a atenção voltada em conquistar o título da divisão. Desta forma, seu próximo compromisso no Ultimate provavelmente será diante de Kamaru Usman, atual campeão meio-médio da companhia.