MATÉRIA ESPECIAL: O pacto de sangue dos militares colombianos

Em plena ofensiva para pacificar o país, o necrotério de uma pequena cidade da Colômbia ficou cheio de corpos sem identificação de supostos guerrilheiros e delinquentes. Na verdade, eram civis executados pelo que hoje se chama de ‘falso positivos’. O termo batiza o maior escândalo da História militar do país sul-americano em que não importava a captura e sim a quantidade de mortos notificados. Dois militares envolvidos no caso relataram o crime com exclusividade para a Agência France-Presse.