Matador profissional de "Pantanal", Rafa Sieg fala sobre massacre contra família

Solano em
Solano em "Pantanal" (Globo/João Miguel Júnior)

Solano (Rafael Sieg) acaba de chegar ao "Pantanal" como um matador profissional contratado por Tenório (Murilo Benício). O jagunço foi chamado para o local para assassinar a família de José Leôncio (Marcos Palmeira), além de Maria Bruaca (Isabel Teixeira) e Alcides (Juliano Cazarré).

O personagem quase começará acertando seu primeiro alvo ao dar um tiro no peito de José Lucas (Irandhisr Santos), mas o peão será salvo pelo "Velho do Rio".

Para Rafa Sieg, o personagem é um vilão clássico, mas que vai conquistar o público com seu tom dissimulado. "Solano significa ‘Vento do Leste’. E quando esse vento sopra ele vem trazendo mudanças. O Solano é um matador profissional, contratado pelo Tenório e que está disfarçado de peão. Veste uma máscara para conseguir o que precisa. Vai buscar conquistar a confiança de todos e cumprir sua ‘missão’ da maneira mais eficiente possível. Ele é como um Urubu disfarçado de Capivara. Eu penso que o público vai identificar nesse sujeito algumas figuras que, por vezes, aparecem e ninguém acredita que seria capaz de cometer tantos crimes. Para alguns até parece evidente, mas ele consegue enganar todos ao seu redor. De qualquer forma, a força da natureza terá seu papel determinante no final de Solano", contou para o Gshow.

O ator também falou sobre as cenas de devastação ambiental que encontrou durante as gravações no bioma. "Fiquei 15 dias no Pantanal. E mesmo percebendo e ouvindo de todos que a paisagem naquele momento não era mais a mesma de quando eles haviam estado ali no ano passado, e muito menos de 30 anos atrás, por conta da seca, da devastação ambiental na Amazônia e que se reflete no triste no Pantanal de hoje, ainda assim é deslumbrante. A força e a harmonia que existem naquele lugar são presente divino".