Anestesista preso por estupro: Gaze recuperada por colega será analisada pela polícia

Colegas acusam anestesista preso de montar 'cabana' em volta da paciente para evitar que o abuso fosse visto - Foto: Reprodução
Colegas acusam anestesista preso de montar 'cabana' em volta da paciente para evitar que o abuso fosse visto - Foto: Reprodução

O material biológico descartado pelo médico anestesista Giovanni Quintela Bezerra, de 32 anos, vai passar por análise no setor de perícia da Polícia Civil.

O anestesista foi preso em flagrante, na madrugada de segunda-feira (11), por estupro. Segundo investigações, Giovanni abusou de uma paciente enquanto ela estava dopada e fazia uma cesariana no Hospital da Mulher Heloneida Studart em Vilar dos Teles, São João de Meriti, município na Baixada Fluminense.

Também foram apreendidas para perícia as drogas utilizadas para sedar a vítima.

Segundo a polícia, o material que vai passar por análise é o recolhido pela equipe de enfermagem que acompanhou os procedimentos e filmaram o momento do estupro e entregaram à polícia.

Testemunhas contaram em depoimento que Giovanni, posicionado na cabeça da vítima, montou uma espécie de “cabana” que impedia que o resto da equipe o visse.

Nas imagens o homem inseriu seu pênis na boca da paciente, ainda desacordada. Depois que terminou, Giovanni utilizou um material, como gaze, para limpar a boca da paciente, e descartou o material em uma lixeira do próprio centro cirúrgico. E foi esse material que a equipe coletou.

“A mesma equipe de enfermagem, que fez um trabalho brilhante, digno de todos os elogios, também recolheu frascos de substâncias que foram ministradas à vítima, possivelmente para que o crime fosse cometido”, afirmou a delegada Bárbara Lomba.

Após a repercussão do caso, ainda nesta segunda, outra mulher de 23 anos, atendida pelo anestesista no dia 6 deste mês, procurou a delegacia com sua mãe e companheiro para testemunhar contra o médico. Os familiares dela afirmaram aos policiais que a mulher também foi vítima de estupro durante uma cesárea realizada no mesmo hospital.

A polícia investiga ainda se apenas no dia do flagrante, no último domingo, o médico teria cometido outros dois estupros.

O anestesista foi transferido para o presídio de Benfica.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos