Mateus Carrieri fala da bissexualidade das filhas: 'Deixar à vontade para serem o que elas são'

Extra
·2 minuto de leitura

Galã dos anos 90, Mateus Carrieri voltou a falar sobre a sexualidade das filhas adolescentes, de 14 e 13 anos. Em uma live com o jornalista Felipeh Campos, o ator, de 53 anos, falou da reação ao saber que as duas são bissexuais.

"Tenho duas filhas homossexuais, e as duas conversam comigo já há algum tempo sobre isso. E há algum tempo eu venho aprendendo com elas. Eu já não tive muito problema com isso. Tenho muito respeito, carinho, amizade com homossexuais", iniciou ele.

Mateus conta que começou a perceber sobre a sexualidade das filhas na adolescência delas: "Até o momento que elas começaram a se sentir à vontade de me contar as coisas. Senti que para elas foi libertador saber que elas podiam me contar e que eu apoiaria elas incondicionalmente. Desde que elas não fizesse besteiras, tipo, prejudicar os outros, não estudar....Agora, se elas vão dar o primeiro beijo num menino ou numa menina, desde que seja uma coisa bonita, isso não é motivo para um pai ficar desesperado".

Carrieri relembra o conselho que deu para as meninas assim que soube da sexualidade delas:

"Falei para elas: 'para um pai está tudo certo. A gente ainda vive num mundo que ainda tem muita homofobia. No que eu puder te ajudar e te proteger, eu vou fazer. Talvez você tenha que enfrentar, só quero te prevenir para isso. Agora, aqui dentro de casa, vocês estão completamente acolhidas. Se você quiser vir para cá me apresentar um namorado ou namorada, eu não vou querer saber do sexo dele, só vou querer saber se a pessoa é legal, se te trata bem...", disse.

O ator ainda falou sobre apoiar as filhas em vez de impor: "Elas estão começando a vida delas agora. Então, não é o momento de tolir. É momento de amor. De deixaram elas à vontade para serem quem elas são. Os filhos são para o mundo. Os pais tem que educar, sustentar, mas dentro da educação, na minha concepção, o pai não deve falar: 'você é menina e tem que se vestir como menina.. Essa regra, para mim, não existe. Não tem a menor importância. O jeito que elas se vestem, se maquiam, as músicas que elas ouvem, são as formas que elas têm de se expressar. E fora isso, elas são maravilhosas. São garotas incríveis. Sou muito fã delas. Isso para mim, não é algo que tem importância".