May critica declarações 'inaceitáveis' de Trump sobre democratas

Primeira-ministra britânica, Theresa May, em 13 de julho de 2019.

A primeira-ministra britânica Theresa May considerou, nesta segunda-feira, como "totalmente inaceitáveis" as declarações do presidente americano Donald Trump sobre as mulheres parlamentares democratas, que ele convidou no domingo a "voltar" de onde vieram.

Theresa May "considera que a linguagem que foi utilizada para falar sobre essas mulheres foi totalmente inaceitável", declarou o porta-voz da líder conservadora, geralmente comedida em suas críticas ao presidente americano.

"Por que não retornam e ajudam a consertar os lugares quebrados e infestados de crimes de onde vieram?", tuitou o republicano no domingo.

Trump não citou especificamente nenhuma congressista, mas sua menção às "representantes democratas progressistas" foi interpretada como uma referência a um grupo de mulheres liberais mais jovens que integram pela primeira vez a Câmara dos Representantes, entre elas Alexandria Ocasio-Cortez, de Nova York; Ilhan Omar, de Minessota; e Rashida Tlaib, do Michigan.

As críticas de Theresa May surgem após a tempestade diplomática da semana passada, desencadeada pela publicação na imprensa de memorandos diplomáticos confidenciais com comentários do embaixador britânico em Washington, Kim Darroch, desfavoráveis a Donald Trump.

Nos documentos, Kim Darroch considerou a Casa Branca "inepta" e Donald Trump um "tolo pretensioso".

Furioso, o presidente americano reiterou seus ataques a Theresa May e sua gestão do Brexit. "Eu disse a Theresa May como concluir um acordo, mas ela fez isso de maneira ridícula - incapaz de fazer acontecer - Um desastre!".

O embaixador anunciou sua demissão na quarta-feira.

May, que renunciou no início de junho, entregará as rédeas do governo britânico na próxima semana a seu sucessor, cujo nome será conhecido em 23 de junho. Seu ex-ministro das Relações Exteriores Boris Johnson é o favorito contra o atual chefe de diplomacia do país, Jeremy Hunt.