Mbappé cogitou abandonar seleção francesa após racismo: 'Não posso jogar por quem pensa que sou um macaco'

Presença garantida na Copa do Mundo no Catar pela França, Kylian Mbappé quase ficou de fora da competição por escolha própria. Em entrevista à Sports Illustrated, o atacante afirmou que cogitou se aposentar da Seleção após ter sido alvo de insultos racistas na Eurocopa de 2021.

— Não posso jogar para gente que pensa que sou um macaco. Pensei em nunca mais voltar à seleção. Depois refleti, juntamente com as pessoas que jogam comigo, e decidi continuar. Penso que não passa uma boa mensagem uma pessoa se dar por vencida quando as coisas não acontecem como esperamos — explicou Mbappe.

Na Eurocopa de 2021, a França foi eliminada nas oitavas de final pela Suíça. A partida terminou empatada em três a três e os suíços venceram nos pênaltis por 5 a 4, com Mbappé perdendo a última e decisiva cobrança.

Após perder o pênalti, o camisa 10 francês, filho de pai camaronês e de mãe franco argelina, foi alvo de mensagens extremamente ofensivas nas redes socias. Além do mais, o jogador não se sentiu apoiado pela federação francesa após os insultos racistas que sofreu.

— Sou um exemplo para muita gente e não podia deixar passar essa mensagem. Não deixei a seleção para poder dizer às gerações mais jovens 'somos mais fortes do que isto' — contou.

Antes de estrear na Copa do Mundo do Catar, que se inicia no dia 20 de novembro, em busca do tricampeonato francês, Kylian Mbappé tem uma última partida da Ligue 1, no domingo, contra o Auxerre, no Parc des Princes. A França está no Grupo D do Mundial, ao lado de Dinamarca, Austrália e Tunísia.