MBL quer Danilo Gentili como candidato à Presidência

O deputado Kim Kataguiri afirmou que a candidatura do comediante Danilo Gentili à Presidência da República é defendida

Kim Kataguiri afirmou que Danilo Gentili sairá como candidato à Presidência pelo MBL em 2026. (Foto: Divulgação/Câmara dos Deputados e Reprodução)
Kim Kataguiri afirmou que Danilo Gentili sairá como candidato à Presidência pelo MBL em 2026. (Foto: Divulgação/Câmara dos Deputados e Reprodução)
  • Em entrevista ao podcast Flow, Kim Kataguiri anuncia que Danilo Gentili pode ser candidato à Presidência pelo MBL;

  • Movimento deve ser transformado em sigla partidária com candidaturas próprias, afirmou deputado federal;

  • Em 2021, MBL encomendou pesquisa de intenção de votos que já incluía nome de Gentili entre possíveis presidenciáveis.

O deputado federal Kim Kataguiri (União-SP), um dos principais nomes do MBL (Movimento Brasil Livre), afirmou que o movimento será transformado em partido político com candidatura própria à presidência da República em 2026.

O nome escolhido para disputar o mais alto cargo do Executivo nacional é o do comediante e apresentador Danilo Gentili.

"A gente tem defendido e vamos construir para 2026 a candidatura do Danilo Gentili e ele vai disputar", declarou o parlamentar nesta quarta-feira (18), durante participação no podcast “Flow”.

O deputado explicou que, para transformar o MBL em sigla partidária, precisa reunir assinaturas, o que deve ser feito inclusive durante os shows de Gentili.

Se lançar candidatura e chegar a vencer as eleições, Gentili repetirá o feito de Volodymyr Zelenski, humorista que é atual presidente da Ucrânia, no Leste Europeu.

O apresentar do Flow, Igor 3k, questionou Kataguiri sobre essa semelhança. O parlamentar lembrou, então, que os EUA já tiveram um ator como mandatário, o ex-presidente Ronald Reagan, que governou o país norte-americano de 1981 a 1989.

Teste de popularidade

Em junho de 2021, o MBL movimentou as redes sociais com uma pesquisa de intenção de votos que incluía Gentili entre os candidatos.

Na época, o apresentador apareceu com 4% das intenções, empatando com Ciro Gomes (PDT), João Dória (PSDB-SP), Luiz Henrique Mandeta (DEM-MS) e o também apresentador Luciano Huck, não filiado a partidos políticos.

A pesquisa foi encomendada pelo MBL ao Instituto de Pesquisas e Estratégias (IPE).

MBL e Gentili e o apoio 'arrependido' a Bolsonaro

O Movimento Brasil Livre ganhou notoriedade durante os protestos que pediam o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), que perdeu o cargo em 2016.

Depois disso, o MBL apoiou a candidatura de Jair Bolsonaro à Presidência. Mas, logo no primeiro ano de governo, o movimento de direita passou a criticar o então mandatário ainda no primeiro ano de gestão e, posteriormente, puxaram até atos nas ruas contra o governo.

Assim como o MBL, Gentili também foi apoiador do ex-mandatário.