MC fala que acusa Anderson, do grupo Molejo, de estupro fala do abuso sexual e da relação entre os dois: 'Confiava nele'

·3 minuto de leitura

Maycon Douglas Porto do Nascimento Adão, o MC Maylon, jovem que acusa o cantor Anderson Leonardo de estupro, falou sobre sua relação com o vocalista do grupo Molejo e de como, em sua versão, o delito teria sido praticado pelo artista. Aos 22 anos, ele conta que enxergava Anderson como um "pai", um "amigo", e não saiu do carro quando estava sendo levado para o motel pela confiança que tinha nele. O vocalista nega ter cometido o crime.

"Não saí do carro, pois eu confiava nele. Era tudo pra mim, meu pai, meu ídolo. Então nunca pensei que iria me estuprar dentro do hotel. Ele entrou para dentro do hotel para as pessoas não verem ele com um gay na rua fazendo reunião, foi isso que ele alegou pra mim. E me convenceu a entrar", narrou ele em entrevista à Solange Gomes, no portal "Observatório dos Famosos".

"Ele me chamou para dentro do quarto, fechou a porta, tirou meu telefone e tirou a blusa dele. Mandou eu sentar, que iríamos conversar, foi onde ele começou a me agredir. Começamos a medir forças, me deu pânico (...) daí ele conseguiu penetrar, eu desmaiei de dor", continua o MC: Ficou batendo nas minhas costas, chamando pelo meu nome para eu acordar, ao final falou: 'que merda que eu fiz'.

Ainda segundo Maylon, ele não tinha conhecimento da bissexualidade de Anderson, durante os oito meses de amizade, e também não sentia atração física pelo músico. Ele, inclusive, classificou como "ridícula" a postura do cantor ao declarar, numa live pela internet, que se sentia atraído pelo jovem: "Fiquei surpreso".

O MC, que reitera nunca ter se apaixonado por Anderson, além do desejo que tinha de se casar virgem, contou que frequentava partidas de futebol que o vocalista do Molejo ia. Numa das ocasiões, conforme acrescenta, a mãe e o amigo abordaram Anderson, falarm sobre o talento de Maylon e perguntaram se ele poderia ajudar.

Maylon, então, fora convidade para ir até o estúdio dele em Jacarepaguá e a relação dos dois ficou mais próxima. Posteriormente, ele até participou de shows do Molejo, apesar de alegar que não recebera cachê por isso. "só recebia água e muitas das vezes quem me dava, eram as pessoas que estavam lá embaixo assistindo as apresentações. Ia para me divulgar. Ele falava meu Instagram no microfone", contou ele, na entrevista à Solange.

O jovem falou ainda sobre a tatuagem que fez no corpo em homenagem a Anderson: "Fiz essa homenagem, porque ninguém nunca tinha feito uma tatuagem para ele. O cara era um ídolo, um pai pra mim. Eu sempre levantava muito a autoestima do Anderson, pois ele, às vezes, se coloca muito para baixo. Tive a ideia dessa tatuagem após um show em Bangu, onde haviam várias garrafas quebradas no camarim e ele falou que era para gente fazer um pacto e nunca mais se separar. Pai e filho juntos para sempre. Daí fiz a tatuagem. Ele ficou surpreso e beijou a própria testa na tattoo."

Após Maylon ter formalizado a denúncia de Anderson à polícia, o artista compareceu à delegacia. Em depoimento, o cantor confirmou que tinha mantido relações sexuais com o jovem, mas negou o crime, já que, segundo ele, teria havido consentimento. A Polícia Civil do Rio investia o caso.