Mc Maylon, que acusa Anderson do Molego de estupro, fala do casamento e lua de mel: 'Joguei o buquê para mim mesmo'

·3 minuto de leitura

Mc Maylon, que acusa o vocalista do grupo Molejo, Anderson Leonardo, de estupro, aproveitou a própria companhia na lua de mel. Isso depois de ter casado consigo mesmo, na última quarta-feira, em um salão de festas no Rio. Segundo o jovem de 22 anos, após a cerimônia, onde a mãe colocou a aliança em seu dedo, ele foi para um quarto de hotel para celebrar e também refletir sobre o momento em sua vida. Por lá, diz até que jogou o buquê de rosas para ele mesmo.

"Fui (sozinho) para dentro do quarto, olhei o vestido de noiva, e eu quis chorar. Mas, não. Joguei o buquê de flores para mim mesma e falei: 'você conseguiu passar por essa etapa'. Isso ele (Anderson) não tirou de mim. Tem pessoas me julgando, mas percebi que tenho que ter amor próprio, gostar de mim, da minha pessoa, e me amar", conta ele.

Na cerimônia, Maylon foi levado até a mesa, onde ocorreu o casamento, pela própria mãe. Por lá também estavam pessoas próximas, como o padrasto e a irmã. Ele acrescenta que usou dois vestidos, um mais romântico, no início, e depois outro mas justo ao corpo, para explicitar essa transição que, para ele, o casamento representou: de menina virar mulher.

Maylon, aliás, caracteriza esse momento como de superação. Disse que pensou muito antes de tomar a decisão, perguntas que ainda passavam por sua cabeça pouco antes de descer do carro e entrar no próprio casamento.

"Uma parte do que eu desejava foi realizado, porque eu queria ter me casado virgem. Mas isso não aconteceu. E era o Anderson que entraria no casamento comigo, para me levar até o meu marido. Ele sabia que eu queria, mas acabou fazendo isso, me estuprando", desabafa ele, que continua:

"As duas coisas ficam na cabeça, casar e lembrar o que ele fez comigo. Mas isso é uma história de superação, a própria psicóloga falou que é uma coisa difícil de esquecer."

Sobre a festa e os vestidos, Maylon agradeceu às pessoas que o ajudaram. Disse que foi tudo na base da permuta, já que não tem recursos "nem para pagar um proctologista".

Para o futuro, ele conta que quer trabalhar e seguir com a carreira. Diz que já tem algumas parcerias acontecendo e foi até convidado para desfilar, no próximo ano, numa escola de samba.

"Quero encontrar alguém que me ajude a lutar pela minha carreira. Que dê o sangue (no trabalho)", finaliza ele.

Relembre o caso

Maylon registrou o caso na 33a DP (Realengo) no dia 3 de fevereiro. Ele diz ter passado a frequentar os shows de Anderson em setembro do ano passado e relata ter sido violentado sexualmente num quarto de um hotel na Estrada do Catonho, em Sulacap, Zona Oeste do Rio. Em depoimento, ele contou que saiu de casa, próximo à meia-noite, para encontrar o vocalista a fim de conversar sobre sua carreira artística em um clube na Taquara, na mesma região. Em seguida, o músico o teria levado ao estabelecimento.

No local, Maylon afirma ter sido empurrado na cama por Anderson, que ordenou que ele sentasse. O pagodeiro então teria tirado a roupa e dado dois tapas em seu rosto, forçando-o a ter relação sexual. O cantor disse ainda que foi agredido, xingado, e, ao acordar, deixado em uma rua próxima dali.

No dia 9, Anderson Leonardo alegou que a relação sexual entre ele e o cantor aconteceu de "maneira consensual". Em depoimento, o vocalista do Molejo reiterou que não agrediu Maylon tampouco o forçou a fazer sexo com ele. Ele afirmou que, depois da ida ao hotel, o jovem continuou a frequentar seus shows.

Também prestaram depoimento a mãe de Maylon, que reforçou o que o filho declarou na delegacia, e a irmã de Anderson, que disse desconhecer o suposto estupro. Foram ouvidos também quatro funcionários do hotel onde os dois estiveram. Eles garantiram não terem visto ou ouvido "nenhuma anormalidade" no apartamento 104 entre 1h34m e 3h32m de 11 de dezembro do ano passado.