McCarthy diz que democratas devem concordar com limite gastos contra calote dos EUA

O presidente da Câmara dos Deputados dos EUA

WASHINGTON (Reuters) - O presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Kevin McCarthy, disse neste domingo que acredita que os democratas devem concordar em limitar os gastos do governo para evitar um calote da dívida do país, e que quer discutir a ideia com o presidente Joe Biden.

Atualmente no controle da Câmara, os republicanos ameaçaram usar o teto da dívida como justificativa para exigir cortes de gastos por parte dos democratas, que controlam o Senado norte-americano.

Isso criou preocupações em Washington e em Wall Street sobre uma disputa lenta e acirrada que pode ser ao menos tão perturbadora quanto o conflito prolongado de 2011, episódio que levou a um breve rebaixamento da classificação de crédito dos EUA e a anos de cortes forçados nos gastos domésticos e militares.

"Quero sentar com ele agora para que não haja problema", disse McCarthy em entrevista à Fox News, referindo-se a Biden.

"Tenho certeza de que ele sabe que há pontos que podemos mudar que colocam a América no caminho da salvação desses direitos, em vez de colocar o país à beira da falência pela maneira como estão gastando."

McCarthy lembrou de um acordo na era Trump em 2019 no qual os legisladores suspenderam o limite estatutário da dívida para empréstimos do Departamento do Tesouro até uma data posterior como prova de que este tipo de compromisso é possível.

(Por Doina Chiacu e Katherine Jackson)