MEC altera portaria para permitir educação à distância em algumas disciplinas do curso de Medicina

Paula Ferreira

BRASÍLIA — O Ministério da Educação (MEC) reeditou uma portaria para permitir que cursos de Medicina utilizem a educação à distância em algumas disciplinas durante 30 dias, que podem ser prorrogados, a depender da extensão da pandemia do coronavírus no país.

A portaria original, publicada na quarta-feira, proibía que cursos de Medicina utilizassem aulas remotas em qualquer que fosse a disciplina. Agora, o MEC permite que seja utilizado o recurso para conteúdos teóricos-cognitivos do primeiro ao quarto ano do curso.

Nesta quinta-feira, o Conselho Federal de Medicina (CMF) autorizou a prática de telemedicina, ou seja, consultas pela internet, enquanto durar a pandemia do novo coronavírus.

Em documento assinado pelo presidente da entidade, Mauro Luiz de Britto Ribeiro, o CFM autoriza médicos a realizarem orientação, consultas e monitoramento à distância.

A decisão de reeditar a portaria atendeu a um pedido do Fórum das Entidades Representativas do Ensino Superior Particular.

Segundo o MEC, aquelas que optarem por substituir as aulas presenciais por ensino à distância durante a pandemia deverão encaminhar um ofício à pasta, em até 15 dias, informando sobre a decisão. A portaria continua proibindo estágios e práticas em laboratório à distância.

Balanço do Ministério da Saúde, divulgado nesta quinta-feira, mostra que o Brasil tem 621 casos confirmados do novo coronavírus. O maior número de ocorrências está no estado de São Paulo, que registra 286 casos. Em seguida aparece o Rio de Janeiro, com 65. O país já registra 7 mortes causadas pela Covid-19.