MEC divulga notas do Enem; veja onde conferir

Bruno Alfano
·3 minuto de leitura

RIO - O Ministério da Educação divulgou, na tarde desta segunda-feira, as notas individuais do Exame Nacional de Ensino Médio. Elas podem ser conferidas na Página do Participante ou no aplicativo do exame.

O site do Inep, no entanto, já apresenta problemas mesmo antes daas notas terem sido liberadas oficialmente. A promessa do MEC era que elas fossem liberadas após às 18h. O Inep informou às 18h56 que os resultados já estão disponíveis. No entanto, alunos reclamam nas redes sociais que ainda não conseguiram acessá-las. Os problemas no site do Inep no momento de divulgação da nota são recorrentes e acontecem quase todos os anos.

A prova com a maior média geral foi a redação: 588,74. Ao todo, 28 participantes obtiveram nota máxima (1000) e 87.567 zeraram, sendo redação em branco o motivo com maior percentual (1,12%), seguido de fuga ao tema (0,93%) e cópia do texto motivador (0,46%), em um total de 2.723.583 redações corrigidas.

Entre as provas objetivas, a que teve maior média geral foi linguagens, códigos e suas tecnologias, com 523,98. Matemática e suas tecnologias ficou com a média geral em 520, 73, seguida de ciências humanas e suas tecnologias com 511,64 e ciências da natureza e suas tecnologias 490,39.

Para ter acesso às notas, os participantes devem utilizar o login único do Governo Federal. Caso o aluno tenha esquecido a senha, o sistema permite recuperá-la. Basta inserir o CPF no campo indicado, selecionar avançar e clicar no link “Esqueci minha senha”.

O sistema apresentará diversas formas para recuperar a conta (validação facial, bancos credenciados, internet banking, e-mail e celular), escolha uma das opções para receber o código de verificação e, em seguida, gere uma nova senha.

Estão disponíveis as notas da versão impressa, digital e do Exame Nacional do Ensino Médio para adultos privados de liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Enem PPL). O resultado dos treineiros, no entanto, só será divulgado no dia 28 de maio de 2021.

As notas individuais do Enem podem ser usadas para acesso à educação superior, no Brasil e em instituições de Portugal, e também em programas governamentais de financiamento e apoio ao estudante. Confira aqui o calendário de inscrições.

O último Enem entrou para a história com o maior índice de abstenção da história. Mais de 55% dos inscritos, acima de 3 milhões de estudantes, não fizeram as provas em meio à pandemia e pedidos de novo adiamento — o exame já havia passado de novembro de 2020 para janeiro desse ano.

No total, foram 5.893.369 inscritos. Desses, 2.795.369 compareceram aos dois dias de prova ou a pelo menos um dia, e 3.029.391 compareceram a nenhum dia de aplicação.

Na avaliação de Frederico Torres, professor de Matemática e coordenador do Colégio Pódion, isso pode afetar a nota de corte.

— Cursos mais concorridos, como Medicina, não devem sofrer impactos porque os alunos estão, às vezes, se preparando há anos e não acredito que a abstenção venha daí. Mas outros podem sim ter nota de cota menor — afirma.

Segundo o professor de Matemática, além das abstenções, o nível da prova de 2020 também deve pesar.

— O Enem utiliza a Teoria de Resposta ao Item (TRI) para o cálculo das notas, o que pode gerar diferenças nas notas para um mesmo nível de acertos. Um candidato com 36 acertos em 2018 teve uma nota média de 699 em Linguagens e Códigos. Já em 2019, para os mesmos 36 acertos, a nota média caiu 50 pontos, chegando a 649. Ou seja: uma queda nas notas de corte também podem ser reflexo de notas mais baixas pela TRI e, não necessariamente, reflexo da alta abstenção — diz.