Mecanismo de exportação da UE já afeta calendário de entrega de vacina, diz Japão

Elaine Lies e Rocky Swift
·1 minuto de leitura
Taro Kono durante sessão do Parlamento do Japão em Tóquio

Por Elaine Lies e Rocky Swift

TÓQUIO (Reuters) - O "mecanismo de transparência de exportação" da União Europeia já está afetando o calendário de suprimento de vacinas do Japão, disse o ministro a cargo da campanha nesta terça-feira, e o governo prorrogou um estado de emergência na tentativa de conter a pandemia.

A UE não impôs qualquer restrição às exportações de vacinas contra coronavírus, mas se reserva o direito de fazê-lo se as remessas ao exterior minarem os suprimentos do próprio bloco.

O Japão deve iniciar sua campanha de vacinação na metade deste mês, mais tarde do que a maioria das grandes economias, e qualquer atraso poderia semear dúvidas sobre a meta governamental de garantir doses suficientes para todos antes da Olimpíada de Tóquio no verão local.

"A UE decretou este mecanismo de transparência de exportação, e ele está afetando o calendário de suprimento do Japão", disse Taro Kono, o ministro encarregado, aos repórteres, sem dizer como o calendário foi afetado.

Mais tarde, Kono disse em uma entrevista coletiva que as negociações com a UE estão em andamento. O primeiro-ministro, Yoshihide Suga, disse que as inoculações devem começar em meados de fevereiro.

O Japão está dependendo de fabricantes de vacina estrangeiros, e na semana passada Kono alertou que o nacionalismo crescente em torno das vacinas pode levar a retaliações e transtornos nos suprimentos globais.

O país garantiu os direitos de mais de 500 milhões de doses de vários desenvolvedores ocidentais, mais do que suficiente para sua população de 126 milhões de habitantes.