Médica é acusada de se recusar a atender idosa e agredir mulher em SP

·2 minuto de leitura
(Foto: Getty Images)
(Foto: Getty Images)

Uma médica foi afastada do cargo após ser acusada de agredir uma mulher e se recusar a atender uma idosa no Hospital Heliópolis, na zona sul da cidade de São Paulo. As informações são do portal UOL.

O caso aconteceu em 17 de fevereiro, mas o Boletim de Ocorrência foi registrado na última quarta-feira, 24. A Secretaria de Saúde do estado afastou a profissional enquanto o caso está em investigação.

Identificada como Silvia Haber Duellberg, a medica estaria de plantão e teria se recusado a atender Chiarella Aurora, uma idosa de 96 anos, que se sentia mal e tinha dificuldades para andar. A denúncia do BO, revelado pelo UOL, é de desrespeito ao Estatuto do Idoso.

Leia também:

O neto, Anderson Basílio Ferraz, de 41 anos, afirmou ao portal que a avó chegou ao pronto-socorro de ambulância e precisava de atendimento urgente. Ela tinha sintomas de desidratação e infecção urinária.

Anderson chegou com a idosa no hospital às 12h30 e foi informado por outros pacientes que a médica estava ausente desde às 11h30 e só voltaria do almoço às 13h30. Quando voltou, a médica atendia sem máscara e dizia estar imunizada contra o coronavírus.

O neto, filmando a situação, pediu para que a idosa fosse atendida com prioridade, e Silvia Haber Duellberg se negou. Ele perguntou se ela conhecia o estatuto do idoso. “Aqui não existe isso, ela vai ser a última das últimas da fila”, respondeu a médica.

Uma mulher que estava no hospital, Isabela Saturnino dos Santos, ficou indignada que a médica estivesse sem máscara e questionou a médica. Segundo Anderson, foi então que a médica agrediu a Isabela fisicamente.

A Secretaria de Saúde de São Paulo disse ao UOL que repudia condutas desrespeitosas e que já está “realizando apuração preliminar sobre os relatos envolvendo as pacientes citadas”. O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo também afirmou que está investigando o caso.