Médico bolsonarista preso no Egito por assédio sexual pede desculpas: "É uma brincadeira brasileira"

·4 minuto de leitura
  • O médico bolsonarista Victor Sorrentino, preso no Egito após assediar sexualmente uma vendedora, pediu desculpas e classificou o episódio como "uma brincadeira brasileira"

  • A vítima preferiu seguir com o processo criminal contra Sorrentino, por causa dos danos que causou ao publicar as imagens nas redes sociais

  • O Ministério Público do Egito diz ter incluído Sorrentino na lista de pessoas proibidas de viajar; defesa afirmou ao G1 que o passaporte dele já foi devolvido

O médico bolsonarista Victor Sorrentino, preso no Egito após assediar sexualmente uma vendedora e ter publicado o vídeo nas redes sociais, pediu desculpas e classificou o episódio como "uma brincadeira brasileira". 

O caso aconteceu em uma loja de papiro, no dia 24 de maio e, na imagens gravadas pelo próprio médico, ele diz, em português, “vocês gostam mesmo é do bem duro, né?”. Sem entender o que o médico diz, a mulher concorda, o que faz com que ele e outro rapaz brasileiro comecem a gargalhar. “Gostam do bem duro. Comprido, também, fica legal, né?”, emenda.

Leia também

No dia seguinte, Victor voltou ao local e gravou novamente um vídeo com a egípcia. Dessa vez, ele estava pedindo desculpas. Nas imagens, o médico diz a vendedora que tudo havia sido "uma brincadeira" e afirma que a situação provocou "uma confusão".

"Isso é uma brincadeira brasileira, que pode ser vista como brincadeira de mau gosto, e eu acho que é, uma brincadeira assim 'bah, não precisava fazer isso'. Mas eu sou assim, bom, você viu ontem, eu sou um cara muito brincalhão, estou sempre brincando. E filmei isso, e as pessoas ficaram ofendidas por você", disse.

Após explicar à mulher o que ele havia dito em português, o médico chega a dizer para ela, visivelmente constrangida: "ficou vermelha". 

"Quando você falou do papiro, não precisa ficar vermelha, quando você falou do papiro largo, você falou, assim, 'ah, tem que ser duro', aí eu brinquei "ai, então é duro', e "tem que ser grande", grande e duro, grande e duro é uma brincadeira, você sabe", explica o médico a vendedora.

Por fim, a vendedora disse em espanhol que estava "tudo bem" e que entendeu que foi uma "piada".

Processo criminal contra o médico

Segundo informações divulgadas pelo Ministério Público do Egito, a vítima preferiu seguir com o processo criminal contra Sorrentino, por causa dos danos que causou ao publicar as imagens nas redes sociais.

Já o médico ainda alegou que está acostumado a brincar desse jeito com amigos e familiares no Brasil e, por este motivo, não "entendeu" o motivo da investigação. 

"Não entendi isso no início, porque eu estou acostumado a brincar assim com meus familiares e com as pessoas que eu conheço, mas eu não tinha direito de brincar com alguém que eu não conheço", disse.

Ele foi detido na manhã de domingo (30), a caminho do Aeroporto de Cairo. Segundo o Ministério Público egípcio, as investigações revelaram a identificação e localização do brasileiro, quando ele tentava deixar o país, após a repercussão do caso mas redes sociais. A entidade diz ter incluído Sorrentino na lista de pessoas proibidas de viajar.

Ele se aproveitou da barreira linguística para fazer declarações de cunho sexual sem que a mulher entenda (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
Ele se aproveita da barreira linguística para fazer declarações de cunho sexual sem que a mulher entenda (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Ministério Público do Egito pede prisão provisória de brasileiro

O Ministério Público do Egito interrogou o brasileiro por ação "de expor a vítima a insinuações sexuais e insinuações com palavras, a sua transgressão aos princípios da família e valores da sociedade egípcia, sua violação da santidade da vida privada da vítima e seu uso de sua conta online privada para cometer esses crimes", segundo a entidade egípcia. O órgão pediu a prisão provisória do médico brasileiro.

Na sessão, Sorrentino teria alegado que dirigiu a vendedora frases com conotações sexuais e que publicou o vídeo como uma piada. Conforme o órgão, o médico se desculpou com a vítima depois da repercussão do caso.

A advogada Amanda Bernardes, que representa Sorrentino, afirmou ao G1 que o passaporte dele já foi devolvido. "O MP requereu só que ele continuasse lá para amanhã [terça, 1º] prestar novos esclarecimentos que não foram suficientes", disse.

Pelo sistema judicial do Egito, esse tipo de detenção provisória pode ser renovada a cada 15 dias.

Médico foi chamado de “irmão de farda e de fé” por Bolsonaro

Com quase um milhão de seguidores no Instagram e outros 323 mil inscritos no YouTube, Victor costuma defender o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e suas ideias, incluindo o uso de remédios como cloroquina para combate à Covid-19, apesar da comprovação da ineficácia deles contra a doença.

Apoiador confesso de Bolsonaro, o médico também conta com a admiração do presidente, que em 2018, gravou um vídeo dizendo que Sorrentino é um “irmão de farda e de fé”.

“O doutor Victor Sorrentino, mais do que um amigo virtual, é um irmão de farda e de fé. Juntos, nós mudaremos o Brasil”, declarou na época.