Médico é condenado a 41 anos de prisão por matar namorada grávida em MT

·1 min de leitura
Fernando foi condenado à prisão - Foto: Divulgação
Fernando foi condenado à prisão - Foto: Divulgação
  • Fernando foi considerado culpado pelo assassinato de Beatriz Milano, que estava grávida

  • Ela foi encontrada morta na casa do casal e tinha traumatismo craniano

  • O namorado negou ser autor do crime e afirmou que pediu ela em casamento na noite anterior

O médico Fernando Veríssimo de Carvalho foi condenado a 41 anos e oito meses de prisão após julgamento realizado na última quarta-feira (10). Ele é acusado de matar a própria namorada, Beatriz Nuala Soares Milano, que estava grávida.

O assassinato aconteceu em Rondonópolis, Mato Grosso, em 2018. Fernando, de 30 anos, foi acusado e condenado pelos crimes de homicídio quadruplamente qualificado e aborto sem consentimento da vítima.

Beatriz foi morta na madrugada de 24 de novembro de 2018 na residência do casal. O próprio Fernando, na época, alegou ter encontrado o corpo. A perícia concluiu que a mulher sofreu traumatismo craniano após pancada na cabeça.

O namorado fugiu e foi encontrado um mês depois na casa dos pais em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Ele foi detido e levado para Rondonópolis, onde estava preso aguardando julgamento.

Beatriz estava grávida - Foto: Divulgação
Beatriz estava grávida - Foto: Divulgação

Após cerca de dez horas de um júri popular, a sentença foi definida. Fernando terá de cumprir a pena em regime fechado.

O que diz o médico

Fernando foi o responsável por acionar a polícia naquele 24 de novembro. Ele afirmou que saiu para jantar na noite anterior com Beatriz e ao chegar em casa, por volta das 23 horas, permaneceu na sala ingerindo bebida alcoólica, enquanto ela foi para o quarto.

O médico alegou, ainda, que pegou no sono no sofá. Ao acordar por volta das 3 horas, teria ido ao quarto e encontrado a namorada morta. Ele também garantiu que ninguém entrou em casa naquela madrugada.

Em entrevista à imprensa na época, o rapaz reafirmou ser inocente, destacou que namorava Beatriz há dez anos e disse que a pediu em casamento justamente na noite anterior ao crime.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos