Médico é investigado após filmar homem negro algemado: 'Vai ficar na minha senzala'

·2 min de leitura
Médico é investigado após filmar e ironizar homem algemado em Goiás - Foto: Reprodução
Médico é investigado após filmar e ironizar homem algemado em Goiás - Foto: Reprodução

Após filmar um homem negro preso com correntes e algema na cidade de Goiás, um médico é investigado por injúria racial. A filmagem foi publicada na terça-feira (15), na rede social do profissional. O rapaz aparece com os pés acorrentados, as mãos algemadas e até o pescoço preso por um ferro. As informações são do G1.

"Falei para estudar, mas não quer. Então vai ficar na minha senzala", disse o médico rindo enquanto filmava o homem acorrentado.

De acordo com a reportagem do G1, o profissional não se posicionou sobre o vídeo ao ser solicitado posicionamento sobre o vídeo. Assim como, também foi feito o contato com o Conselho Regional de Medicina (Cremego) para saber se vai adotar alguma medida e não houveram respostas.

Segundo a Polícia Civil, foram feitas várias denúncias depois que o vídeo viralizou nas redes sociais, depois da postagem do médico.

O delegado do caso, Gustavo Barreto, ainda investiga a relação entre o médico e o homem.

De acordo com o delegado, a filmagem teria sido feita em um colégio na zona rural da cidade. Em outras postagem feitas pelo proprietário do perfil, é possível ver o médico e o homem conversando em tom de brincadeira.

"Vamos apurar se o fato se trata apenas de uma brincadeira de profundo mau gosto ou de possível prática de constrangimento ilegal ou injúria racial", ressaltou o delegado.

Tanto o jovem filmado, assim como o autor da postagem, serão intimados para comparecer à delegacia para esclarecer a gravação do vídeo.

Vale ressaltar que o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, em outubro do ano passado, que o crime de injúria racial configura um dos tipos penais de racismo e é imprescritível.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos