Médico é preso acusado de fraudar atestados de comorbidade para vacinação

·1 minuto de leitura
  • Além do médico, o dono da clínica em que ele atuava também está detido

  • Médico permitia, inclusive, que paciente escolhesse a doença falsa para o laudo

  • Outras quatro clínicas estão sendo investigadas

Um médico foi preso na última quinta-feira (27) no Rio de Janeiro, suspeito de entregar atestados médicos falsos para pessoas poderem se vacinar contra o coronavírus. Sérgio Mendes Izidoro inclusive deixava o paciente escolher a comorbidade falsa.

“Pode ser hipertensão, pode ser asma, diabetes…”, afirmou, em conversa com uma paciente não identificada, em material encaminhado à polícia e obtido pelo portal Metrópoles.

Além de Sérgio, o dono da clínica Augusto Guedes de Carvalho Filho, também foi detido. Ambos são acusados de vender laudos adulterados.

Leia também

Para conseguir um atestado, era preciso fazer o pagamento em dinheiro. Depois, o paciente era encaminhado por Augusto ao médico, que assinava o documento. Os valores dos laudos variavam de R$ 20 a R$ 50. A dupla chegava a realizar 30 atendimentos diários. Eles começaram a empreitada quando a vacinação de pessoas com comorbidades foi iniciada.

Os agentes da Delegacia de Defraudações (DDEF) apreenderam atestados já preenchidos na clínica. A DDEF investiga outros quatro consultórios e irá pedir à Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro uma lista dos pacientes que se vacinaram com atestados assinados por Sérgio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos