Médico se recusa a usar máscara para atender paciente: “Vai cozinhar os miolos”

·6 minuto de leitura
Surgical mask on white background
Médico alegou que ar que fica dentro da máscara prejudica o cérebro (Foto: Getty Images)
  • Médico se negou a usar máscara para atender paciente na cidade de Franca, interior de São Paulo

  • Profissional da saúde foi irônico e disse que mulher poderia denuncia-lo

  • Prefeitura de Franca alega que já chamou atenção do médico

Um médico se recusou a usar máscara para atender uma paciente em Franca, interior de São Paulo. A mulher filmou a situação, que aconteceu no Núcleo de Gestão Assistencial da cidade. O caso foi revelado pelo portal Uol.

O ortopedista e traumatologista começou a atender a paciente sem o item de proteção e foi repreendido por ela. “O senhor me desculpa, mas o senhor não pode atender sem máscara”, disse a mulher.

O médico, então, se recusa a colocar a máscara, evoca à Deus e diz que a paciente deve parar de assistir televisão.

Leia também

“Eu não vou colocar máscara não, sabe por quê? Deus me deu uma cabeça boa, eu não vou estragar ela com uma máscara. Esse ar que você tá respirando aí vai cozinhar os miolos. Fica tranquila, para de assistir televisão, é o que eu posso te falar", diz o profissional de saúde.

A mulher continua argumentando e diz que o médico pode ter pegado coronavírus naquele dia. Ele relata que atendeu 12 pessoas ao longo do dia e instiga que a paciente faça uma denúncia contra ele.

Quando a mulher pediu para que o médico parasse com ironias, ele respondeu: “Não tô sendo irônico, tô sendo sincero, pode me prender.”

Ao Uol, uma funcionária do Núcleo de Gestão Assistencial confirmou que o médico se recusa a usar máscaras e a seguir os protocolos de segurança para evitar a propagação do coronavírus. “Ele vem dando muito trabalho e até assusta pacientes negando a gravidade da doença e a necessidade de protocolos sanitários, mas ninguém faz nada”, relatou.

Ela ainda disse que a prefeitura não age e, por isso, o ortopedista continuará atendendo no local.

Em contato com a prefeitura de Franca, o Uol foi informado que o município “já advertiu o profissional sobre o cumprimento dos protocolos sanitários e, assim tem orientado a todos os seus colaboradores. O caso relatado foi encaminhado à Secretaria de Saúde para melhor apuração dos fatos e adoção das medidas administrativas cabíveis”.

Relembre outros casos polêmicos envolvendo o uso de máscaras

Os problemas com pessoas que se recusam a usar máscara têm sido comuns no país. Cidadãos que pedem que outras pessoas usem a proteção individual já foram agredidos e até assassinados. Relembre: 

Idoso tem perna fraturada após pedir para homens usarem máscaras

Um idoso de 62 anos ficou gravemente ferido após ser agredido por pedir para dois homens utilizarem máscaras de proteção contra a covid-19. O caso aconteceu em Campinas e foi relatado pela EPTV, afiliada da TV Globo na região.

Edmundo Conceição Santos estava em uma mercearia no bairro São Judas Tadeu, na noite de domingo, conversando com o dono do estabelecimento, quando dois homens entraram no local sem máscara.

O idoso pediu que eles colocassem a proteção, um bate-boca teve início e Edmundo acabou agredido. Ele sofreu uma fratura no fêmur, foi encaminhado a um hospital da região e precisará passar por cirurgia. Também bateu a cabeça e teve escoriações pelo corpo.

"Foi agredido só porque pediu para usar máscara. Aí esse cara veio, agrediu, quebrou o fêmur. Precisa fazer alguma coisa, não pode deixar agredir uma pessoa de idade, quebrar o fêmur, por pedir para usar uma máscara. Hoje em dia, a crueldade está assim. Tem que fazer justiça", disse uma testemunha.

Segundo relatos de presentes, Edmundo foi atingido por socos e pontapés. Agora, precisa ser operado justamente no momento em que a Covid-19 vive seu pico no Brasil. A situação preocupa a família, uma vez que o idoso já apresentou problemas de saúde nos últimos tempos.

Guarda se recusa a usar máscara

Guarda se recusou a usar máscara e ameaçou pacientes (Foto: Reprodução/G1)
Guarda se recusou a usar máscara e ameaçou pacientes (Foto: Reprodução/G1)

Um guarda municipal ameaçou pacientes em uma unidade de saúde em Praia Grande, no litoral de São Paulo. O agente estava sem máscara e ficou irritado quando pessoas pediram para que ele usasse o equipamento de proteção. O homem estava fardado e aguardava atendimento.

Armado, ele ameaçou outros pacientes. Ao G1, uma paciente de 33 anos relatou que o caso aconteceu na noite do último sábado, 13. A mulher estava acompanhada pelo pai e viu o guarda chegar com dois colegas.

O agente foi ao local porque teve um pico de pressão alta durante o trabalho. A mulher afirmou que ele já chegou irritado ao local. “Parecia que ele não queria passar no médico. Os colegas diziam a ele que tinha que passar sim”, disse ao G1.

Ele aguardava o atendimento com a máscara no queixo. Outros pacientes que estavam na Unidade de Pronto Atendimento reclamaram e pediram para que ele usasse o item corretamente. O guarda não gostou e reagiu. Ele xingou e agrediu uma paciente que estava na fila, atrás dele.

Rapaz é assassinado por pedir que cliente usasse máscara

O comerciante Daniel Pereira Santos, de 24 anos, foi morto em Itapema, no litoral norte de Santa Catarina, em 22 de março. O crime teria acontecido depois de Daniel se negar a atender três clientes que estavam sem máscara em um supermercado.

Segundo informações do portal Uol, a ocorrência foi registrada no 12º Batalhão de Polícia Militar. A corporação confirmou que o assassinado aconteceu depois de uma discussão sobre as medidas sanitárias no estado.

Em Santa Catarina, é proibido que pessoas entrem sem máscaras em espaços fechados. A multa pode chegar a R$ 500 para quem descumprir o decreto.

À polícia, a mãe da vítima relatou que, horas antes do crime, o suspeito e outras duas pessoas tentaram entrar no supermercado sem máscara. Daniel teria pedido para que eles saíssem, porque o mercado da família poderia ser multado por permitir clientes sem o equipamento de proteção.

O suspeito ficou irritado, teria voltado com uma arma e atirado várias vezes contra o jovem de 24 anos.

Juiza investigada por incentivar pessoas por andarem sem máscara

A juíza Ludmila Lins Grilo, da Vara Criminal e da Infância e da Juventude de Unaí, que atua em Buritis, Minas Gerais, viralizou no Twitter por postagens em que defende a aglomeração de pessoas e a não utilização de máscaras, durante a pandemia da Covid-19.

Em vídeo publicado em seu perfil na rede social, Ludmila ensina como andar em um shopping sem usar máscara. O uso do acessório é recomendado por autoridades de saúde e obrigatório para evitar a contaminação pelo novo coronavírus.

Além da repercussão virtual, o advogado José Belga Assis Trad pediu que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) apure a conduta da juíza. Segundo o documento, ignorando os esforços do órgão, das autoridades sanitárias e dos profissionais da saúde, Ludmila passou a defender abertamente as aglomerações nas praias e festas do litoral brasileiro.

Em resposta ao Globo, o CNJ afirmou que iria apurar o caso.