Medidas adotadas para solucionar crises pontuais, como escolas de lata, se perpetuam no país

Silvia Amorim e Dimitrius Dantas

SÃO PAULO — Escolas de lata, professores temporários, bolsa-aluguel. Idealizadas para serem medidas transitórias na gestão pública, todas elas são exemplos consagrados de como o provisório se transforma em permanente no país.

Em São Paulo, escolas de lata foram incorporadas definitivamente na rede de ensino, mesmo depois de 20 anos de polêmica e questionamentos sobre a precariedade dessas instalações e os reflexos disso para o aprendizado.

(Leia a íntegra da matéria exclusiva para assinantes)