Medina deve viajar com treinador e sem Yasmin Brunet para a Olimpíada

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O surfista Gabriel Medina, número 1 do mundo e esperança para o Brasil de medalha nos Jogos Olímpicos de Tóquio, deve viajar para o Japão com o técnico Andy King, que o acompanhou na perna australiana do Circuito Mundial da WSL. Andy, inclusive, já está com a credencial olímpica. O brasileiro tentou até este momento levar sua esposa Yasmin Brunet como seu estafe, uma vez que, segundo ele, Yasmin é responsável pela sua estatística, nutrição e apoio mental. Todos os surfistas que vão à Olimpíada podem levar uma pessoa como equipe.

Ele diz que Yasmin seria a sua primeira escolha para a viagem, mas que foi impedido pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) de exercer sua vontade. Ele afirma que, no surfe, os atletas não se prendem à formação acadêmica para montagem do estafe e que a esposa é quem o acompanha em todas as competições mundo afora.

Medina chegou a falar com Paulo Wanderley, presidente do COB, como "última cartada". Ouviu do cartola que haveria uma tentativa. Mas nada mudou e Yasmin não foi credenciada para Tóquio-2020. O GLOBO apurou que outros atletas ficaram incomodados com o episódio porque não podem levar suas esposas ou maridos para o evento.

Leia também:Projeto dos irmãos Nogueira no Parque Olímpico busca descobrir novos talentos das artes marciais

Por causa da pandemia da Covid-19, o Japão reduziu drasticamente o número de credenciais. Além disso, o Japão segue com as fronteiras fechadas, permitindo a entrada de estrangeiros em situações de exceção. Não haverá público estrangeiro nas arenas olímpicas.

Medina voltou a desabafar sobre a situação e endossou o sentimento de se sentir prejudicado com a decisão do COB. Ele afirma que outros surfistas estão levando quem escolheram como estafe e ele, não. Acabou optando pelo treinador Andy King para não ir sozinho ao Japão. Ele lamentou o "desgaste desnecessário", na véspera do embarque, no próximo dia 17. Mas garantiu que entrará na competição para brigar pelo ouro:

— Se Deus quiser eu ganho esse ouro para o Brasil.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos