Mediterrâneo com aquecimento anormal

O Mar Mediterrâneo está a registar um aquecimento anormal. No início de Novembro, cientistas registaram temperaturas recorde, com as águas mediterrânicas a atingir, pela primeira vez, os 23 graus Celsius, um aumento de 5 graus em relação à média sazonal.

A vaga de calor marinho afeta todo o ecossistema e ultrapassou os recordes registados em 2003. Os cientistas dizem que o fenómeno é cada vez mais recorrente.

Karina Von Schuckmann, oceanógrafa: "Estes eventos são mais fortes, severos e duradouros. [...] Algumas espécies vão migrar e outras vão desaparecer da região."

Se o fenómeno se registou por todo o Mediterrâneo, as costas francesas estiveram entre as mais afetadas.

François Jobard, meteorologista - Meteo France: "Particularmente notório em 2022 é que os meses com fortes anomalias parecem encadear-se ou, pelo menos, são bastante numerosos. O mês de maio foi o mais quente, depois agosto, que foi o segundo mais quente e agora outubro, que foi o mais quente desde que há registo."

Mesmo a profundidades de 15 metros, os cientistas registaram no Mediterrâneo temperaturas a rondar os 21 graus Celsius, que deveriam normalmente ser medidas ao nível da superfície.