Megadeth anuncia saída de David Ellefson após escândalo sexual

·1 minuto de leitura

RIO — A banda de metal Megadeth anunciou, nesta segunda-feira, dia 24, a saída do baixista David Ellefson, de 56 anos, diante da polêmica envolvendo acusações de assédio sexual ao músico.

"Estamos informando aos nossos fãs que David Ellefson não está mais tocando com o Megadeth e que estamos oficialmente nos separando dele. Não tomamos essa decisão levianamente. Embora não saibamos todos os detalhes do ocorrido, com uma relação já tensa, o que já foi revelado até agora é suficiente para tornar o trabalho conjunto impossível de seguir em frente. Estamos ansiosos para ver nossos fãs em turnê neste verão, e mal podemos esperar para compartilhar nossa nova música com o mundo. Está quase completa", diz o comunicado da banda, assinado por seu fundador, o guitarrista Dave Mustaine.

Uma declaração anterior a respeito do escândalo, que incluiu imagens emplícitas do baixista, foi emitida perlo perfil do Megadeth no dia 10 de maio. Na postagem, a banda afirmava estar ciente do caso e que investigaria os fatos para tomar um posicionamento.

"No que diz respeito à criatividade e aos negócios, estamos todos familiarizados uns com os outros. No entanto, há claramente aspectos da vida privada de David que ele guardou para si mesmo", dissera a banda no primeiro momento.

A decisão por retirar Ellefson do Megadeth dividiu opiniões entre os fãs, provocando postagens tanto contrárias à retirada do músico, quanto outras demonstrando apoio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos