Meghan Markle: as ameaças ‘reais e repugnantes’ recebidas pela duquesa como membro da realeza britânica

O Duque e a Duquesa de Sussex deixando o Serviço Nacional de Ação de Graças na Catedral de São Paulo, em Londres
O duque e a duquesa de Sussex deixaram o cargo de membros seniores da realeza em 2020

A duquesa de Sussex recebeu ameaças "repugnantes e muito reais" enquanto trabalhava como membro da família real, disse o comissário assistente da Polícia Metropolitana.

Neil Basu disse que entenderia se Meghan tivesse se sentido "sob ameaça o tempo todo". Os autores das ameaças foram processados, disse ele ao Channel 4 News, da BBC.

O príncipe Harry, que se mudou para o Estado da Califórnia, nos Estados Unidos, com Meghan em 2020, disse em 2021 que não se sentia seguro ao visitar o Reino Unido.

O casal sempre falou sobre os abusos que sofreram antes de sair do Reino Unido e como isso afetou sua saúde mental.

Antes, em 2016, depois que o casal tornou público seu relacionamento, o príncipe Harry emitiu um comunicado criticando os ataques nas redes sociais que tinham Meghan como alvo.

Neil Basu - ex-chefe do policiamento antiterrorista na Inglaterra - falou ao Channel 4 News em sua entrevista final como comissário assistente.

"Se você tivesse visto o que foi escrito e estivesse recebendo (as mensagens), o tipo de retórica... Se você soubesse o que eu sei, você se sentiria ameaçado o tempo todo", disse ele.

Quando perguntado se houve ameaças genuínas a Meghan, ele acrescentou: "Certamente".

"Tínhamos equipes investigando. Pessoas foram processadas por essas ameaças."

Meghan Markle
Meghan disse que tinha pensamentos suicidas enquanto servia à realeza

Ele disse que já havia falado publicamente sobre a ameaça de "terrorismo da ultradireita", dizendo que foi a ameaça que "cresceu mais rápido" com a qual lidou.

"Quando comecei no contraterrorismo em 2015, (os ataques) representavam cerca de 6% de nossa carga de trabalho total. Quando saí, 15, 16 meses atrás, era mais de 20% de nossa carga de trabalho."

Basu, que é o oficial negro mais graduado da Grã-Bretanha, também estava encarregado da proteção real.

Ele se tornou oficial do MET (a polícia metropolitana de Londres) em 1992, antes de subir na hierarquia, e tem falado abertamente sobre raça e policiamento ao longo dos anos.

Ele acrescentou: "Falo sobre raça porque sei algo sobre raça, porque sou um homem mestiço de 54 anos".

Basu também criticou o governo durante a entrevista, dizendo que achou "alguns dos comentários do Ministério do Interior inexplicáveis".

Ele foi questionado sobre os comentários da secretária do Interior, Suella Braverman, que disse ser o "sonho" dela ver os requerentes de asilo removidos para Ruanda.

"É inacreditável ouvir políticos muito poderosos usando essa linguagem antiquada. É horrível."

Em resposta aos comentários, um porta-voz do Ministério do Interior disse: "O ministro do Interior espera que as forças de segurança tenham tolerância zero com o racismo em seu local de trabalho".

"Mas a ministra do Interior também é muito clara sobre a necessidade de administrar nossas fronteiras de forma eficaz e ter um sistema de asilo que funcione para aqueles que realmente precisam, assim como o povo britânico."

O duque e a duquesa de Sussex deixaram o cargo de membros seniores da família real em 2020 para traçar seu próprio caminho nos Estados Unidos.

Depois de deixar de ser um membro ativo da família real, Meghan deu uma entrevista à apresentadora Oprah Winfrey na qual revelou que tinha pensamentos suicidas enquanto servia à realeza.

- Texto originalmente publicado em https://www.bbc.com/portuguese/internacional-63816162