Meia dose de AstraZeneca é eficaz como reforço, revela pesquisa brasileira

·2 min de leitura
Thailand - June 7, 2021 : Astrazeneca  vaccine against the COVID-19 virus bottles with Vaccine Box on white tray
Imunizante é fabricado no Brasil pela Fiocruz. Foto: GettyImages.
  • Pesquisa foi realizada na cidade de Viana, no ES

  • População da cidade está autorizada a receber meia dose como reforço

  • Produção de anticorpos é similar à imunização com dose padrão

Um estudo brasileiro mostrou que meia dose da vacina contra covid-19 da AstraZeneca/Oxford tem efeito e pode ser aplicada como reforço da imunização.

A pesquisa, feita na cidade de Viana, no Espírito Santo, mostrou que a meia dose teve eficácia semelhante à dose padrão para prevenção de 70% de casos novos da doença. Após a imunização completa, não ocorreu nenhum óbito e nenhuma internação após a imunização completa.

O estudo integra o projeto Viana Vacinada, que é coordenado pelo Hucam-Ufes (Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes, da Universidade Federal do Espírito Santo), que faz parte da rede Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), e tem parceria com a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

Os pesquisadores apresentaram o resultado para a Fiocruz, que produz as vacinas da AstraZeneca no Brasil, e para a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

Nesta sexta-feira (21), os resultados serão encaminhados para a Ctai (Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19), que ajuda o Ministério da Saúde nas políticas públicas de enfrentamento da pandemia.

A pesquisa mostrou também que 99,8% dos participantes foram capazes de produzir anticorpos neutralizantes com meia dose da vacina, o que é um resultado semelhante ao da dose padrão.

Já entre os participantes que não foram infectados com covid e não haviam se vacinado com nenhum imunizante, houve maior produção de anticorpos do que entre pessoas que receberam uma dose padrão.

Os efeitos colaterais da vacinação com meia dose foi leve e duraram menos do que entre os que receberam uma dose padrão.

O estudo foi realizado no dia 13 de junho de 2021 e alcançou 20.685 participantes, de 18 a 49 anos de idade. A segunda etapa de imunização foi no dia 8 de agosto

Dos participantes, 558 foram selecionados para serem monitorados com coleta de amostras sanguíneas para avaliação da produção de anticorpos neutralizantes e celulares.

Com os resultados, a Conep (Comissão Nacional de Ética em Pesquisa) autorizou que a população de Viana, com idade entre 18 a 49 anos, a receber reforço com meia dose. Podem receber meia dose quem recebeu dose padrão de AstraZeneca, Coronavac ou Pfizer.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos