Meia Pietro Prazeres comemora título da B2 do Carioca pelo Pérolas Negras

Extra
·3 minuto de leitura

Pela segunda vez em seus quatro anos de história, o Pérolas Negras conquista um título estadual: repetindo 2017, a equipe coroou a melhor campanha da Série B2 do Campeonato Carioca – equivalente à quarta divisão, e foi campeão ao bater nos pênaltis o 7 de abril, no último sábado (6), no Estádio Nivaldo Pereira, em Nova Iguaçu.

Um dos destaques da campanha, o meia Pietro Prazeres, nascido em Barra Mansa - cidade do interior há pouco menos de 150km da capital carioca, comemorou seu primeiro título como jogador profissional, elogiou o projeto do Pérolas Negras e relembrou momentos difíceis na vida até chegar à conquista deste sábado.

Logo na infância, Pietro sofreu com a separação dos pais e viu no futebol, desde cedo, uma chance de ajudar a família. A mãe, comerciante, fazia artesanatos em casa e, junto à pensão do pai, batalhava para dar ao filho condições necessárias para realizar seu sonho: se tornar jogador profissional.

“Nunca me faltou nada, mas muitas vezes até amigos e minha avó me ajudavam na passagem para treinar, pegava duas conduções para chegar ao campo, mas nunca deixei de acreditar no meu sonho. Não me envergonho da minha história, muito pelo contrário, tenho muito orgulho. Sei que os meus pais fizeram de tudo e sacrificaram muito para eu realizar meu sonho”, contou.

Com passagens por times da região Sul Fluminense como Barra Mansa e Volta Redonda, além de ter atuado nas categorias de base do Grêmio e com passagem curta no futebol sul-mato-grossense (Águia Negra), Pietro viu no Pérolas Negras um projeto organizado. Na terceira divisão do Estadual a partir da próxima temporada, a equipe quer alçar voos maiores e chegar à elite do futebol carioca.

“Sabemos quão difícil é chegar na primeira divisão do Campeonato Carioca, mas é o nosso objetivo. Todo ano entramos em competições para ser campeão, não apenas se manter na mesma divisão, progredindo e alavancando o clube sempre para o próximo nível. O Pérolas sempre foi um clube diferente, tendo uma categorias de base forte e sempre prezando também pelo lado social dos jovens, dando oportunidades não apenas para atletas brasileiros, mas também para estrangeiros e refugiados. É um clube que se compromete com o ser humano, não só com o jogador”, complementou o meia.

A vitória nos pênaltis na final do Estadual coroou o Pérolas Negras, que terminou a competição com a melhor campanha geral – contando os dois turnos e o mata-mata. No total, foram 15 jogos, 11 vitórias, dois empates e apenas duas derrotas. Pietro conta que, apesar do acesso antecipado, a equipe queria o título para fechar a temporada com chave de ouro.

“Sensação única e fantástica sermos campeões do jeito que fomos. Saímos atrás no jogo de ida, mas em nenhum momento abaixamos a cabeça e conseguimos levar para os pênaltis na partida de volta. Sabíamos que teríamos condições de subir na classificação geral, mas queríamos ganhar tudo. Sensação de dever cumprido ao deixar nossos nomes marcados na história desse clube”, comemorou Pietro. Além dos finalistas Pérolas Negras e 7 de Abril, o Carapebus e o Campo Grande também garantiram acesso à terceira divisão estadual.

O foco agora é na próxima temporada, que se inicia em junho. Além da Série B1 – ainda sem calendário divulgado pela Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro), o Pérolas também disputa a Copa Rio. Para o meia barra-mansense, a equipe tem totais condições de brigar pelo título em ambas as competições.

“Nossa pré-temporada é sempre feita com muita competência e detalhe, trabalhando dois meses de preparação não apenas física, mas também técnica e tática visando as próximas competições. Queremos fazer uma boa Copa Rio em agosto e tentar o acesso à Série A2 na temporada. Sabemos que é extremamente difícil, mas nosso grupo e nossa comissão técnica tem competência de sobra para alçarmos voos ainda maiores daqui para frente”, finalizou o meia.