Repercussão da gestão ambiental faz Congresso tentar reverter imagem negativa do País

Reuters
·2 minuto de leitura

Diante da repercussão negativa da gestão ambiental do Brasil no exterior e das consequências econômicas, principalmente para o agronegócio, o Congresso Nacional movimenta-se para sinalizar que, a despeito dos erros do governo, o País tem interesse em investir em uma abordagem mais verde.

A tentativa, no entanto, é apenas parte da solução, alertam os próprios parlamentares. A reversão do quadro só será possível a partir do envolvimento de outros atores, incluindo os governos federal e estaduais e ainda o Poder Judiciário.

De um lado, integrantes das bancadas ruralista e ambientalista entenderam o recado internacional e uniram-se em um grupo de trabalho, por determinação do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para elencar e votar as propostas de consenso entre as duas bancadas.

Cortes em financiamentos de outros países para a proteção ambiental da Amazônia e boicotes a produtos brasileiros em redes de supermercado estrangeiras, além de críticas de personalidades sobre o aumento de queimadas e desmatamentos no Brasil, serviram como um empurrão à abertura do diálogo.

Ao mesmo tempo, parlamentares trabalham como pontes entre o Executivo, mais precisamente o vice-presidente Hamilton Mourão, que comanda o Conselho da Amazônia, e ONGs.

E, em outra frente, atuam por uma abordagem legislativa que leve em conta a proteção do meio ambiente nos principais temas em debate, caso da reforma tributária.

Dados preliminares do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) apontaram que o desmatamento na floresta amazônica subiu 34,5% no acumulado em 12 meses, apesar da queda em julho, enquanto o número de focos de incêndios aumentou 28% no mês em relação a um ano atrás.

“Os parlamentares da Frente Ambientalista no Congresso e setores mais abertos da bancada ruralista, com apoio dos presidentes das duas Casas, estão num esforço para reverter a péssima imagem do país criada pelo atual governo em relação ao meio ambiente,...

Continue a ler no HuffPost