Meios de comunicação são multados por não publicarem texto

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Sete meios de comunicação do Equador foram multados nesta sexta (21) pela Superintendência de Comunicação do país por omitirem de forma "deliberada e recorrente" a difusão de uma nota publicada no jornal argentino "Página 12" que acusa o empresário Guillermo Lasso, derrotado nas eleições presidenciais equatorianas, de ser um "magnata de offshores".

Ecuavisa, "La Hora", "Expresso", "El Universo", Teleamazonas, Televicentro e "El Comércio" receberam multa de US$ 3.500 (cerca de R$ 11 mil) e deverão pagá-la em 72 horas.

A reportagem publicada em 15 de março pelo "Pagina 12", representava, de acordo com o superintende do órgão de comunicação, um tema de interesse público.

Ao deixar de publicá-la, os veículos teriam desobedecido o artigo da Lei Orgânica de Comunicação que proíbe a censura prévia para favorecer um terceiro. A reportagem do jornal argentino, no entanto, não ouviu Guillermo Lasso.

A acusação contra os sete veículos de comunicação foi apresentada pelo Observatório Cidadão por uma Comunicação de Qualidade três dias depois de o presidente Rafael Correa dizer em seu programa "Enlace Ciudadano" que a não publicação da nota do "Página 12" fora um ato de censura.