Melão a preço de carro: Conheça o luxuoso mercado de frutas no Japão

Luiza Belloni

A expressão “a preço de banana” para dizer que um item está barato não faria o menor sentido no Japão. Por lá, frutas “perfeitas” podem ser leiloadas e alcançarem preços exorbitantes ― e, ainda assim, continuarão sendo consumidas. 

No Japão, existe um mercado luxuoso de frutas que movimenta fortunas todos os anos. Em vez de estarem em feiras nas ruas, entre caixotes de madeira robustos, elas são vendidas em lojas de shopping, embaladas cuidadosamente em caixinhas de presentes, expostas como se fossem joias. O que, para os japoneses, elas de fato são. 

Vistas como presentes, as frutas têm um valor social e sentimental no Japão. O mesmo país que tem uma tradição de dar presentes como forma de agradecimento também tem uma antiga cultura de cultivar frutas especiais e com sabores incríveis. O resultado disso são frutas que são vendidas por preços bastante salgados.

Em 2016, por exemplo, um melão Hokkaido premium foi vendido pela bagatela de 3 milhões de ienes, ou cerca de US$ 27 mil. Na conversão de hoje, esse único melão custaria cerca de R$ 100 mil. 

“Frutas são tratadas de forma diferente na cultura asiática, especialmente na cultura japonesa”, explicou Soyeon Shim, reitora da Escola de Ecologia Humana na University of Wisconsin-Madison, à CNN. “Não é apenas parte da dieta, mas, talvez mais importante, a fruta é considerada um item de luxo e tem um papel importante no elaborado ritual japonês de dar presentes.”

Nessas lojas, que mais se parecem finas joalherias, podem-se encontrar maçãs por cerca de R$ 60, uma caixinha com 12 morangos pelo equivalente a R$ 200, ou sortido de frutas perfeitas embaladas em caixinhas adoráveis. Já o “rei das frutas”, o melão pode ser vendido por cerca de R$ 500 cada unidade

Mas, você deve pensar, “como as pessoas pagam esses preços nestas frutas?”.

Bom, não é qualquer fruta. As melancias (que também são vendidas em formatos de coração ou quadrada), melões,...

Continue a ler no HuffPost