#MELANINA: vamos discutir Consciência Negra neste dia 20?

O que há para ser celebrado neste 20 de Novembro em um país que tem a maior parte de sua população negra e que, ao mesmo tempo, promove, desde o período de colonização e escravidão até os dias de hoje, o genocídio deste grupo étnico?

Um estudo exclusivo do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) para o Alma Preta mostra que 61% das vítimas de feminicídio, homicídio motivado pelo fato de a vítima ser mulher, no país são negras.

ASSISTA AO EPISÓDIO 1: Vidas salvas e poder para a autoestima: o futebol de várzea é preto

ASSISTA AO EPISÓDIO 2: A moda traz de volta a ancestralidade e acende a autoestima do povo preto

ASSISTA AO EPISÓDIO 3: Barba, cabelo e… autoestima! Como a barbearia empodera pretos pelo Brasil

A população negra tem 2,7 mais chances de ser vítima de assassinato do que os brancos, revela outra pesquisa, essa do IBGE, parte do informativo Desigualdades Sociais por Cor ou Raça no Brasil.

Luciana Pioto durante gravação do episódio RAP, que ocorreu no festival 100% Favela, no Capão Redondo, zona sul de São Paulo (Foto: Mariana Prudência/Yahoo Notícias)

Mais que uma data de celebração, o Dia da Consciência Negra é a atual lembrança do assassinato de um homem preto: Zumbi dos Palmares, líder quilombola e símbolo nacional da luta pela liberdade do povo negro.

O quanto o avançamos na conquista por igualdade racial nos mais de três séculos que sucederam a morte deste guerreiro? Por que os negros ainda são maioria em praticamente todas as estatísticas negativas do país. Faça o exercício: há quanto tempo você não lê algo positivo sobre a comunidade negra brasileira?

Pedro Borges ao lado do barbeiro Zinho durante gravação do episódio de barbearia, no centro de São Paulo (Foto: Mariana Prudência/Yahoo Notícias)

Além de Zumbi, são inúmeros os líderes e personalidades que construíram não apenas a luta por direitos civis desta comunidade, mas a história do Brasil. Seja no campo intelectual, na moda, no esporte, nas artes.

Consciência Negra é também reconhecer que o povo preto não apenas resiste, mas existe brilhantemente em nossa sociedade e exige respeito.

É pensando nisso que o Yahoo, em parceria com o Alma Preta, tem lançado todas as sextas-feiras de Novembro episódios da série #MELANINA.

Cada um dos capítulos fala sobre empoderamento do povo preto através de ações afirmativas em cinco pilares da chamada cultura periférica: futebol, moda, barbearia, música e festas.

Visitamos o Inajar e o Angolanos, dois times que movem a várzea de São Paulo, empoderando a população preta e periférica através do jogo mais amado pelos brasileiros.

Estivemos junto de Ana Xongani, uma das principais estilistas pretas do Brasil. E com ela você poderá entender o quanto que a ancestralidade na moda, em uma moda feita por e para pretos, mexe com a autoestima.

Também fizemos barba, cabelo e bigode: fomos à barbearia do Zinho, no centro de São Paulo, um marco da resistência cultural preta no Brasil. E fomos visitar também o Kintal, um quilombo urbano que empoderado crianças, adultos e idosos.

Nos próximos episódios você ainda vai ficar por dentro do festival 100% Favela, que leva hip hop e cultura ao povo do Capão Redondo. E entrará de cabeça na quadra da Camisa Verde-e-Branco, na pista do baile da DZ7 e nas batidas da Batekoo para entender que autoestima e empoderamento são construções diárias e permanentes.

Neste dia 20 de Novembro, te convidamos: vem discutir Consciência Negra com a gente?