Membro dos Panteras Negras ganha liberdade condicional após 50 anos preso

Protesto de Panteras Negras em 1971
Sundiata Acoli, de 85 anos, está na prisão há quase cinco décadas pelo assassinato de um policial em 1973

Um tribunal de Nova Jersey concedeu liberdade condicional ao ex-membro mais velho dos Panteras Negras após quase cinco décadas de prisão.

Sundiata Acoli, de 85 anos, foi condenado à prisão perpétua em 1974 pelo assassinato de um policial no ano anterior.

Fundado em 1966, os Panteras Negras eram um grupo revolucionário nacionalista e socialista negro que defendia a autodefesa armada especialmente contra a polícia.

O tiroteio que levou à prisão de Acoli ocorreu após uma blitz de rotina em uma rodovia no Estado americano de Nova Jersey. O tiroteio que se seguiu deixou um soldado, Werner Foerster, morto e outro ferido.

Na época, Acoli estava viajando com Assata e Malik Shakur, dois membros do Exército de Libertação Negra, o braço armado dos Panteras Negras. Ele foi preso após uma perseguição policial ao lado de Assata Shakur.

Acoli há muito tempo afirma que perdeu a consciência após ser atingido no fogo cruzado e acordou com o corpo morto de Foerster a seu lado.

Depois de ter repetidamente negada sua liberdade condicional desde que ganhou o direito ao benefício há 29 anos, a Suprema Corte de Nova Jersey agora votou por três a dois para derrubar uma decisão do conselho de liberdade condicional.

Em um parecer escrito sobre o caso de Acoli, os juízes do tribunal disseram que seu comportamento na prisão foi "exemplar" e que ele completou 120 programas atrás das grades.

Em 2010, um psicólogo designado pelo Estado determinou que Acoli "parecia arrependido" e havia expressado "profundo arrependimento" por seu papel na morte de Foerster.

Os comentários do psicólogo foram repetidos por Acoli em uma audiência de liberdade condicional seis anos depois.

"Lamento profundamente as ações que aconteceram", disse ele. "Foram tempos turbulentos e temerosos."

Mas o conselho de liberdade condicional negou repetidamente suas tentativas de obter o benefício, argumentando que ele ainda poderia representar uma ameaça ao público.

Mas, segundo o juiz da Suprema Corte de Nova Jersey, Barry T Albin, as opiniões do conselho "não eram apoiadas por evidências críveis substanciais".

Entre aqueles que se manifestaram contra a libertação de Acoli está o governador de Nova Jersey, Phil Murphy, que disse em um comunicado que quem matar um policial deve "permanecer atrás das grades até o fim de sua vida".

Pelo menos 12 membros idosos dos Panteras Negras ainda estão presos nos Estados Unidos.

A integrante com quem ele foi preso, Assata Shakur — anteriormente conhecida como JoAnne Chesimard — está foragida desde uma fuga da prisão em 1977.

Acredita-se que ela esteja em Cuba e continua na lista dos mais procurados do FBI, a polícia federal americana.

Ela ainda é considerada até hoje uma heroína para muitos ativistas de esquerda dos EUA.

Sabia que a BBC está também no Telegram? Inscreva-se no canal.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!