Mendonça ganha fôlego em disputa ao Supremo após recondução de Aras à PGR

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O anúncio do presidente Jair Bolsonaro de que irá reconduzir Augusto Aras para o comando da Procuradoria-Geral da República (PGR), feito na última terça-feira, mudou o cenário da indicação de André Mendonça ao Supremo Tribunal Federal (STF). Isso porque tirou do páreo o principal concorrente à vaga aberta com a aposentadoria do ministro Marco Aurélio Mello, que era o próprio Aras, e colocou as duas candidaturas para andarem juntas no Senado, onde ambos serão sabatinados.

Também o convite ao senador Ciro Nogueira (PP-PI) para ser ministro da Casa Civil deve ajudar na articulação política para a aprovação do nome de Mendonça pelo Senado. Como mostrou a colunista Bela Megale, Ciro tem dito a interlocutores que garantirá a aprovação dele para a vaga.

Na avaliação de interlocutores do chefe da Advocacia-Geral da União (AGU), incluindo dois ministros do STF ouvidos pelo GLOBO, a indicação de Aras deu força a Mendonça. Estes mesmos interlocutores ainda observam que o gesto de anunciar a recondução de Aras dois meses antes do fim de seu mandato foi uma maneira de Bolsonaro trabalhar pelo seu indicado ao STF — um gesto em prol de sua campanha.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos