Menina de 12 anos atropelada por trem em Nova Iguaçu morre e tem órgãos doados

Louise Queiroga
·1 minuto de leitura
Hudson Pontes - 17.06.2010 / O Globo
Hudson Pontes - 17.06.2010 / O Globo

RIO — A menina de 12 anos que foi atropelada por um trem na quarta-feira teve morte cerebral constatada após exames neurológicos no Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI), onde estava internada desde o acidente.

Segundo a assessoria de imprensa da unidade, a família da paciente decidiu pela doação de órgãos. Ela havia dado entrada em estado gravíssimo devido ao trauma na cabeça e chegou a passar por uma cirurgia.

Os médicos iniciaram o protocolo de morte encefálica na noite de quarta-feira, que foi encerrado no dia seguinte. Órgãos como rins, fígado e tecidos foram destinados a pessoas cadastradas no Programa Estadual de Transplante.

"A equipe do serviço social e psicologia do HGNI está dando suporte à família", acrescenta o comunicado.

A jovem foi atingida por uma composição quando atravessava a linha férrea nas proximidades da estação Austin, no ramal de Japeri, por volta das 11h10 do dia 4. O Corpo de Bombeiros foi acionado e a vítima foi socorrida.

Em nota, a Supervia lamentou o ocorrido e afirmou que a criança atravessou a linha férrea irregularmente, por uma passagem clandestina. Também informou que o trem não consegue parar imediatamente após a frenagem porque "ainda percorre até 400 metros, dependendo da velocidade, e pode colocar os clientes e o maquinista em risco".

"A concessionária lamenta o ocorrido e ressalta que é extremamente importante que a população respeite as normas de segurança e não caminhe na linha férrea, área destinada exclusivamente para a circulação dos trens. O respeito a essa regra é a melhor forma de evitar acidentes, que colocam em risco a vida de pedestres e podem causar prejuízos à circulação", afirmou.