Menina de 12 anos monta escolinha durante pandemia e ganha casa

Colaboradores Yahoo Notícias
·2 minuto de leitura
Menina de 12 anos monta escolinha em casa de barro e dá aula para alunos no Maranhão
Menina de 12 anos monta escolinha em casa de barro e dá aula para alunos no Maranhão

Uma menina de 12 anos, moradora de uma comunidade rural de Coelho Neto (MA), decidiu montar uma escolinha para dar aulas a crianças prejudicadas com suspensão das atividades presenciais em decorrência da pandemia de coronavírus. A iniciativa emocionou a web e a Prefeitura, que está construindo uma casa para a professora-mirim.

Érika Leal teve a ideia de montar a sala de aula enquanto brincava de escolinha com os amigos, em maio de 2020. Ela montou uma turma com 20 alunos de diferentes idades e séries.

“A pandemia chegou e teve a doença e aí, a gente parou de estudar. Nós brincávamos de tarde e era divertido, só que o sol era muito quente, e eu falei assim ‘Em vez da gente brincar disso, vamos brincar de escolinha?’. Eu fiz e virei professora”, disse a garota ao portal G1.

A escola começou a funcionar em uma casa de barro, mas o dono não gostou da ideia. A menina pediu à mãe um espaço ao lado da residência dela para montar a chamada Escolinha da Esperança. Ela ensinou os alunos a ler e escrever e os estimulou a pensarem sobre o bom comportamento em casa.

A mãe de Érika, a catadora de lixo Maria Donizete Leal, encontrava o material didático para a filha. “O pessoal jogava os livros aqui e nós pegávamos e levava. Tudo era reciclado daqui de dentro do lixão”, contou ela ao G1.

Sensibilizada com a história, a Prefeitura de Coelho Neto está construindo uma casa para a família da menina, em parceria com o Rotary Club. O dinheiro usado na reforma foi arrecadado durante uma vaquinha na internet.

A casa foi planejada para ter um espaço que será destinado para que Érika continue dando suas aulas: “Eu queria que minha escola ficasse perfeita, a escola que está faltando, eu gostaria muito que ela fosse aqui mesmo nesse local. Que fosse uma escola de concreto, mais arejada, fosse uma coisa mais sólida para eles, com piso, tudo bonito e decorado".