Menina de 3 anos é resgatada após três dias presa em escombros em cidade turca abalada por forte terremoto

Extra, com agências internacionais
·2 minuto de leitura

Uma menina de três anos foi resgatada, nesta segunda-feira, dos escombros de um prédio na cidade turca de Izmir, quase três dias após um forte terremoto no Mar Egeu que abalou o país e a Grécia. Ao todo, mais de 85 pessoas morreram. O tremor causou mini tsunamis e fez com que edifícios desabassem.

As equipes de resgate tiraram a garota, Elif, dos destroços, depois a levaram em uma maca para uma ambulância enquanto as equipes de emergência procuravam por sobreviventes em outros oito prédios desabados. As duas irmãs e o irmão da menina foram encontrados vivos nos escombros junto com sua mãe no sábado. No entanto, uma das crianças morreu mais tarde naquele dia.

"Mil agradecimentos a você, meu Deus. Trouxemos nossa pequena Elif dos destroços do apartamento", escreveu Mehmet Gulluoglu, chefe da Diretoria de Gerenciamento de Emergências e Desastres da Turquia (Afad), no Twitter.

A Afad disse que o número de mortos em Izmir aumentou para 83 — se tornando o terremoto mais mortal a atingir a Turquia em quase uma década. Dois adolescentes também morreram na ilha grega de Samos, disseram as autoridades.

Um total de 994 pessoas ficaram feridas em Izmir e cerca de 220 pessoas ainda estão sendo tratadas, acrescentou a Afad. Acredita-se que cerca de 20 pessoas ainda estejam nos escombros de um dos prédios da cidade, onde as buscas continuam, disse a emissora CNN Turk.

O tremor foi o mais mortal na Turquia desde um outro abalo que atingiu a cidade oriental de Van em 2011, que matou mais de 500 pessoas. Um terremoto em janeiro deste ano matou 41 pessoas na província oriental de Elazig.

A Turquia é cortada por falhas geográficas e é propensa a terremotos. Em 1999, dois terremotos poderosos mataram 18 mil pessoas no noroeste da Turquia.

O terremoto de sexta-feira, que o Instituto Kandilli, com sede em Istambul, disse ter uma magnitude de 6,9, foi centrado no Mar Egeu, a nordeste de Samos. Desde então, houve quase 1.200 tremores secundários, disse a AFAD.

Mais de 3.500 tendas e 13 mil camas foram fornecidas para fornecer abrigo temporário na Turquia, e quase 8 mil funcionários e 25 cães de resgate fazem o trabalho de resgate e socorro, de acordo com a Afad.