Menina de 4 anos baleada na cabeça, na Zona Oeste, tem piora no estado de saúde, diz avó

O estado de saúde de Alice da Silva Rocha, de 4 anos, piorou, segundo a avó da menina. A criança foi baleada na cabeça quando voltava da escola, no dia 1º, durante uma troca de tiros entre supostos milicianos e policiais civis da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), em Curicica, na Zona Oeste do Rio. Ela segue internada em estado grave no Hospital municipal Miguel Couto, na Gávea. Segundo parentes da criança, há oito dias eles estão “em uma corrente de oração” para que ela se recupere.

'Eu só quero acordar deste pesadelo': diz pai de criança de quatro anos baleada na cabeça

Vítimas da violência: Grande Rio soma quatro crianças baleadas em 2022

'Eles atiraram achando que eram os marginais': diz pai de menina baleada em Queimados; um menino morreu

Após disparos: 'Morto com um tiro certeiro no coração', diz moradora sobre criança que morreu em Queimados; outras duas ficaram feridas

Ao GLOBO, a avó de Alice, Glória Ferreira da Silva, relatou que familiares e amigos seguem na expectativa pela melhora da menina, mesmo com ela em estado gravíssimo.

— (Nos últimos dias) piorou o estado de saúde da minha neta. Ela está estável, mas o caso é muito delicado. Estamos em uma corrente de oração – contou a vendedora de salgados Glória Ferreira da Silva, 54, avó materna de Alice.

Castro sobre mortes na Vila Cruzeiro: 'Quem faz chacina é quem aponta arma para a polícia'

Segundo a vendedora, a mãe de Alice, Andressa Silva de Oliveira Feitosa, está desnorteada com tudo o que aconteceu. A menina voltava da Creche municipal Criança do Futuro, ao lado de Andressa, que está grávida de três meses, quando foi atingida por um tiro na cabeça. Elas estavam na Rua André Rocha, a 15 minutos de distância de casa.

– A minha filha está muito abalada. Todos nós estamos – completou Glória.

Em nota, a Secretaria municipal de Saúde (SMS) disse que “o estado de saúde da paciente permanece grave”.

Alice foi atingida durante um tiroteio entre agentes da Draco e supostos milicianos que estariam extorquindo moradores. Ela foi socorrida por um primo e levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Taquara, mas precisou ser transferida para o Hospital Miguel Couto, onde passou por cirurgia.

Câmeras registraram; veja: Policial civil é morto em tentativa de assalto na Zona Norte do Rio

As armas dos policiais envolvidos no confronto foram apreendidas. São três fuzis calibre 556. Os agentes também conseguiram apreender uma pistola calibre 9 milímetros que teria sido abandonada pelos criminosos que estavam no carro de onde também foram feitos disparos. Durante a ação, os agentes prenderam Marcos Aurélio Marques de Almeida, o Neguinho do Gás. Ele estava com a arma encontrada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos