Menina de 4 anos baleada na Zona Oeste abriu os olhos, segundo família

A menina Alice da Silva Rocha, de 4 anos, abriu os olhos e mexeu os braços na manhã desta segunda-feira (6). A criança foi baleada na última quarta-feira (1), durante uma troca de tiros entre supostos milicianos e policiais civis da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), em Curicica, na Zona Oeste do Rio. De acordo com a Secretaria municipal de Saúde, a menina segue internada no Hospital Miguel Couto, na Zona Sul do Rio, e seu estado de saúde é grave.

Ao GLOBO, a avó de Alice, Glória Ferreira da Silva, relatou que familiares e amigos seguem na expectativa pela melhora da menina.

— Hoje ela tentou abrir os olhinhos. A nossa família está muito abalada, mas confiante. Pedimos que as pessoas continuem com as orações que a gente vai vencer essa batalha — disse a avó.

Alice foi atingida no momento em que ela e a mãe paravam para comprar pipoca, quando ocorreu o confronto. Socorrida inicialmente por um primo e levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Taquara, a menina precisou ser transferida para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, onde passou por uma complexa cirurgia.

De acordo com a Polícia Civil, os tiros que atingiram a criança partiram dos supostos bandidos. Em nota, a instituição afirmou que “imagens de câmeras de segurança foram apreendidas e serão analisadas para identificar os criminosos que atiraram contra os agentes e esclarecer a origem do disparo que atingiu a vítima”.

Ainda de acordo com o texto, “testemunhas e dois moradores, vítimas dos milicianos acusados de extorsão, prestaram depoimento. As investigações estão em andamento para elucidar os fatos, identificar e prender todos os envolvidos na ação criminosa”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos