Menina Ana Clara, morta aos 5 anos por bala perdida, é homenageada com placa por ONG

Pâmela Dias*
·2 minuto de leitura

A menina Ana Clara Gomes Machado, morta aos 5 anos vítima de bala perdida na comunidade Monan Pequeno, em Niterói, foi homenageada na manhã desta sexta-feira pela ONG Rio da Paz, com a instalação de uma placa na Lagoa, Zona Sul do Rio, com nome, idade e causa da morte da criança. O protesto pela tragédia se junta às histórias de outras 80 crianças e adolescentes também assassinados por armas de fogo no estado do Rio de Janeiro nos últimos 14 anos.

Ana Clara foi baleada na última terça-feira quando brincava à porta de casa com o irmão. A menina foi a segunda criança vítima de bala perdida morta este ano no estado.

A placa de Ana Clara foi colocada ao lado da de Alice Pamplona, também de 5 anos, baleada e morta na madrugada do dia 1° de janeiro quando via os fogos do Ano Novo, no colo da mãe, no Morro do Turano, no Rio Comprido. De acordo com o coordenador de projetos do Rio de Paz, Lucas Louback, crianças negras moradoras de comunidades são as principais vítimas do crime devido "à falta de assistência e políticas públicas".

— Pais e mães estão sofrendo profundamente com a barbárie que é perder um filho de forma tão cruel. A maioria dessas crianças era moradores de comunidades pobres e negras. Por que essa trágica realidade não tem perturbado toda sociedade? Por que as estruturas políticas e os tomadores de decisões não estão dedicados à mudança? Essa cultura bélica, que por vezes é estimulada e celebrada por parte da sociedade, tem ceifado muitos inocentes. Isso tem que parar — enfatizou.

O painel com as placas é uma instalação permanente da ONG Rio de Paz desde 2015, quando o médico Jaime Gold foi morto a facadas em assalto no local. A maioria das homenagens prestadas às vítimas reúne casos de mortes que não tiveram a autoria descoberta e aconteceram durante confronto entre policiais e bandidos.

*Estagiária sob supervisão de Vera Araújo