Menina baleada no Rio sai aos poucos da sedação e começa a abrir os olhos, diz família

*Arquivo* RIO DE JANEIRO, RJ, 25.05.2022 - Buraco de bala durante confronto em comunidade no Rio de Janeiro. Menina baleada no Rio sai aos poucos da sedação e começa a abrir os olhos, diz família. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)
*Arquivo* RIO DE JANEIRO, RJ, 25.05.2022 - Buraco de bala durante confronto em comunidade no Rio de Janeiro. Menina baleada no Rio sai aos poucos da sedação e começa a abrir os olhos, diz família. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A família da criança de quatro anos que foi baleada na cabeça durante confronto entre a polícia e criminosos no Rio na última quarta-feira (1º) diz que a menina está saindo aos poucos da sedação e que já começa a mexer os braços e as pernas. Segundo a avó paterna, ela também tentou abrir os olhos.

No entanto, o estado de saúde ainda é considerado grave, afirma a direção do Hospital Miguel Couto. Ela foi atingida, na quarta, ao comprar pipoca com a mãe, que está grávida de três meses, na Taquara, zona oeste do Rio.

"Ela pegou a menina na creche, parou para comprar pipoca e, quando viu, a menina estava toda ensanguentada", disse a avó materna, que não terá o nome revelado para preservar a identidade da criança.

Já o tio da menina estava voltando do trabalho, por volta das 17h30, quando foi avisado que a sobrinha havia sido baleada. Depois que recebeu a informação, foi para o local em que a sobrinha havia sido alvejada.

"Eu passei em casa correndo. Foi o tempo de pegar a minha moto e correr até lá. Quando eu cheguei, tinha três viaturas da Polícia Civil e uma da Polícia Militar."

Ele diz que é a primeira vez que a família passa por uma situação de violência na região onde mora. Na noite da quinta-feira (2), vizinhos e familiares se reuniram na praça da Lincoln, no Largo da Preguiça, zona oeste, para fazer uma roda de oração pela vida da criança.

Após ser baleada, a menina foi encaminhada para a unidade de pronto-atendimento da Taquara e, depois, para o Hospital Miguel Couto, onde passou por uma cirurgia na cabeça.

A Polícia Civil informou que realizou ação após receber uma denúncia de extorsão e teria sido recebida a tiros por criminosos. Durante a ação, os policiais prenderam uma pessoa e apreenderam uma pistola e um carro roubado.

Ainda segundo a corporação, agentes realizaram perícia no local e ouviram testemunhas. Imagens de câmeras de segurança também estão sendo analisadas para saber de onde partiu o tiro.

A avó materna da menina diz que tem esperança de que a neta se recupere. "Temos muita fé e estamos fazendo uma corrente de oração. Ela é uma menina linda. É a minha princesa. Além de alegre e para frente, é uma menina tudo de bom. Deus está no controle. Com certeza, ela vai sair dessa", diz ela.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos