Menina de 10 anos pede ajuda por bilhete contra abusos do padrasto

(Foto: Getty Images)
(Foto: Getty Images)
  • Menina de 10 anos pede ajuda por bilhete contra abusos do padrasto

  • Caso aconteceu em Chapecó, Santa Catarina

  • Principal suspeito é o padrasto, de 55 anos

Uma menina de 10 anos de idade entregou um bilhete para um monitor de transporte escolar pedindo ajuda. Segundo o portal UOL, ela escreveu no papel: “Me ajuda, estou sofrendo abuso sexual”. O caso aconteceu em Chapecó, Santa Catarina, e o principal suspeito é o padrasto, de 55 anos.

Ele está preso preventivamente desde quinta-feira (12) e, segundo a Polícia Civil, nega a acusação.

O delegado Éder Matter contou que a criança mandou a mensagem quando chegou na escola. O ajudante do motorista entregou o bilhete na instituição de ensino, que chamou o Conselho Tutelar. De acordo com o portal UOL, a mãe e a vítima foram ouvidas pela polícia na terça (10).

A mãe, que é diarista, afirmou que não sabia dos abusos. "Eles aconteciam há cerca de 5 meses, sendo que o último foi na semana passada. A mãe trabalhava como diarista uma ou duas vezes por semana e eram nesses períodos, segundo a vítima, quando ocorriam os abusos", falou o delegado. Os laudos confirmaram os abusos.

Até ontem, a menina continuava morando com a mãe, que tem um filho menor de idade fruto do relacionamento com o suspeito. A previsão da polícia é que a investigação seja concluída até a próxima semana.

A maneira como a denúncia foi feita chamou atenção da polícia. "Muitas vezes, as pessoas não têm como ir até uma delegacia, tem vergonha ou principalmente um trauma. Às vezes a própria família não acredita e a lição que fica é essa: denunciar, para que o Conselho Tutelar, a polícia tome as providências necessárias", afirmou Matte.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos