Menina de 13 anos pede socorro por escrito em prova: "Meu pai bate na minha mãe. Chama a polícia”

·1 min de leitura
Criança denunciou caso de violência doméstica - Foto: Getty Images
Criança denunciou caso de violência doméstica - Foto: Getty Images
  • Menina de 13 anos aproveitou prova escolar para denunciar as agressões do pai contra a mãe

  • A polícia abriu inquérito e definiu como "desumana" a condição na qual a vítima vivia

  • A mulher e os quatro filhos foram retirados de casa, mas o acusado segue em liberdade

Um caso de violência doméstica está sendo investigado em Vale do Anari, Rondônia, após denúncia feita pela filha do casal em uma prova escolar. As informações são do G1.

“Por favor, me ajuda. Meu pai bate na minha mãe. Chama, para mim, a polícia”, escreveu a garota na prova, ao lado do endereço da residência onde vivia com os pais.

A denúncia deu início a um inquérito conduzido pela polícia de Machadinho D’Oeste. Delegado responsável pelo caso, André Kondagenski definiu como “desumanas” as condições enfrentadas pela mãe da garota.

"Nunca na minha carreira tinha visto algo parecido. Ela nunca denunciou as agressões. Quando a polícia era chamada lá, ela negava que era agredida. Ela está totalmente afetada emocionalmente por conta das agressões", relatou ao G1.

Pedido feito pela garota em prova escolar - Foto: Reprodução
Pedido feito pela garota em prova escolar - Foto: Reprodução

Kondagenski explicou que os ataques físicos e verbais do marido começaram quando o casal ainda vivia no Pará, após a morte do primeiro filho.

"Eles tiveram um filho lá no Pará, onde moravam. O bebê, que tinha entre um e dois anos, foi até um paiol, ingeriu veneno de rato e morreu. Desde então, ele começou uma pressão e tortura psicológica sobre ela."

Vítima e filhos deixam a residência

Foram necessárias cinco horas de “negociação” até que a vítima aceitasse deixar a casa onde vivia com o marido. A jovem de 13 anos e seus três irmãos, sendo duas meninas (16 e 14 anos) e um menino (8 anos), estão abrigados sob responsabilidade do Conselho Tutelar.

A mãe negou que os filhos apanhassem dos pais, versão contestada por, pelo menos, uma das jovens. Apesar dos relatos, o acusado ainda não foi preso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos