Menina de 8 anos é esmagada por placa de concreto no metrô de Recife

·2 min de leitura
Muro cedeu e caiu sobre a criança - Foto: Reprodução/WhatsApp
Muro cedeu e caiu sobre a criança - Foto: Reprodução/WhatsApp
  • Garota participava de festa de Dia das Crianças quando foi atingida pelo muro

  • Ela foi internada com diversas fraturas e passou por cirurgia na pelve

  • A criança segue internada em estado grave, mas estável

Uma garota de 8 anos está internada em estado grave após ser esmagada por uma placa de concreto que compõe o muro do metrô de Recife na comunidade do Papelão, bairro do Coque. O acidente aconteceu no último sábado (16).

Kemilly Kethelyn Lino da Silva participava de uma festa da ONG Mão Amiga, em celebração pelo Dia das Crianças, quando a placa caiu sobre ela.

Leia também:

Segundo testemunhas, Kemilly estava almoçando ao lado de outras crianças no momento do acidente, mas somente ela foi atingida.

A garota foi levada às pressas para o Instituto de Medicina Integral Fernando Figueira (Imip),onde recebeu os primeiros socorros, antes de ser transferida ao Hospital da Restauração.

Kemilly foi esmagada pelo muro - Foto: Reprodução/WhatsApp
Kemilly foi esmagada pelo muro - Foto: Reprodução/WhatsApp

Segundo o hospital, Kemilly deu entrada com politraumatismo. Ela sofreu fraturas no crânio, na coluna, nos pés e na pelve. Esta última fez com que a garota fosse submetida a uma cirurgia.

Kemilly continua internada e seu estado é grave, mas estável. Ela está intubada. Segundo sua mãe, Caroline Pereira da Silva, a garota responde a estímulos.

“Ela ainda está com o rostinho todo inchado. Eu conversei com ela. Chamo de neném em casa, e eu disse: ‘Neném, mamãe está aqui’, e ela começou a chorar. Eu disse: ‘Chore não, que logo mais você vai para casa, para brincar com a sua irmã’. Aí, ela apertou a minha mão e mexeu as duas perninhas, mexendo com os pés”, relatou ao G1.

Placas estavam velhas, dizem moradores

Em nota, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) lamentou o ocorrido, disse que entrou em contato com a família da garota e que está investigando as causas do acidente, mas garantiu que os muros passam por vistoria e reparos periodicamente.

Os moradores locais, porém, afirmaram que o muro já estava bastante danificado e havia desabado em outros trechos.

“Meu esposo disse: 'O que eu estou querendo é a saúde da minha filha, não quero indenização nem nada'. E eu também disse que queria que eles fizessem manutenção nas placas, porque são muito antigas e estão caindo aos poucos, uma por uma. Caiu uma próxima. A gente tem que ter cuidado, para que o que aconteceu com a minha filha não aconteça com outras crianças”, comentou Caroline.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos