Menina que já teve 1,5 milhão de curtidas por cochilo em show de balé diz que sonhou com 'fantasmas' e explica por que dormiu

Estava escrito nas estrelas que ela roubaria a cena. A bailarina que adora espacate e fica ansiosa antes das apresentações, Cecília Viana, de 4 anos, dormiu durante o espetáculo do Instituto Cultural Artevida, em Barueri, São Paulo, e as imagens postadas pelos próprios pais que estavam na turma do gargarejo ganharam as redes sociais. O vídeo da soneca já tem mais de 1,5 milhão de curtidas. Mas por que a pequena, que acordou bem cedo no domingo (20/11) para a grande apresentação, dormiu? Teria ela sonhado naqueles poucos segundos de soninho? A própria Cecília responde a essas perguntas.

— Eu gosto muito de balé, mas dormi mesmo, estava com sono. Sonhei com fantasmas — respondeu a menina ao GLOBO para espanto do pai Adevaldo Viana, que atribuiu o minipesadelo a programas infantis que ela costuma assistir no YouTube, sempre com o monitoramento dos mais velhos.

Desinibida, brincalhona e "muito pra frente", assim Adevaldo descreve a filha. Ao lado da mãe Cristiana Oliveira, ele fez todo o making of do grande dia e filmou o evento que teve desfecho inesperado. Cecília acordou cedo, às 7h, tomou café da manhã e passou as horas que antecediam o show ensaiando a coreografia. Nem tirou o soninho da tarde, tamanha era a expectativa. O restante do tempo foi gasto nos últimos atos de qualquer camarim: fazer maquiagem, penteado e fazer poses com o vestido amarelo.

Cecília relembra o passo a passo daquele dia tão emocionante:

— Eu gosto muito de dançar. Balé é lindo! Eu dormi, mas foi muito legal —conta a garota que responde "sim" e "não" ao ser perguntada se ficou com vergonha, o que quer dizer um pouquinho sim e outro pouquinho não.

Afinal, ela acabou, sem querer, virando a estrela do teatro que estava lotado. Tudo parecia ter sido planejado. Até o tema do balé veio a calhar para um dia de tantas emoções e pouco descanso. Há quase um ano matriculada no instituto, Cecília vinha ensaiando, desde agosto, os movimento do balé "Árvore da Vida", com a professora Dany Viegas. A coreografia da menina, que representava a infância e o aconchego com o nascimento, começava com as 19 bailarinas deitadas no palco e com a cabeça apoiada em travesseiros. Para arrematar, o ponto alto era a música "Pra te fazer dormir". Quando a música começou, todas as meninas começaram a dançar, exceto Cecília pelos motivos que já foram explicados pela própria. Embalada ao ritmo da cantiga, ela continuou no aconchego do travesseiro mais um pouquinho.

A gravação que foi parar no Tik Tok mostra o grand finale no Centro de Eventos Barueri, onde a crônica mais fofa desta semana se passou. Quando a menina finalmente acorda e começa a dançar, sem perder o ritmo, a plateia levanta uma salva de palmas e a mãe grita aos risos: "Coisa linda de mãe!".

Os pais contam que, depois do balé, Cecília ficou mais esperta, se desenvolveu mais e passou a ter um desempenho ainda melhor na escola.

—Em casa, ela pede para a gente colocar a música e começa a ensaiar por conta própria — entrega Adevaldo.

'Desigualtômetro': moradores de área nobre de São Paulo vivem até 21 anos a mais do que população de bairros pobres

Gordofobia: Após alegar que modelo brasileira é 'gorda demais', Qatar Airways volta a negar embarque mesmo com pedido do consulado

Cecília confessa que, dentre as muitas possibilidades do balé para exercitar o corpo, a que mais gosta é também uma das mais desafiadoras: o espacate, movimento em que as bailarinas se sentam no chão com as pernas abertas em 180°. Mas tudo tem uma razão de ser.

— Eu gosto porque fico mais grande – explica Cecília.

A bailarina mais popular da atual temporada garante que não dormirá no próximo show, apesar do sucesso. O cochilinho da tarde, agora, é sagrado. Para o público, não faz diferença se os volteios serão ou não entremeados por cochilos. "A apresentação foi linda, o coração ficou em felicidade total. Se é gostoso para ela estar ali, para a gente que é pai e mãe é ainda mais incrível" , derrete-se o pai. No próximo espetáculo, a performance premiada não se repetirá. Quem viu viu. Quem não viu terá que rever o vídeo quantas vezes quiser.

– Eu não durmo mais, foi só aquela vez! — diz a bailarina em seu momento de descanso familiar enquanto tenta alcançar um pote de gelatina na geladeira.