Menina que pedia alimento em troca de máscaras no Rio recebe ajuda

EDSON SALES

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Num semáforo de uma movimentada avenida no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste do Rio, uma cena chamou atenção dos motoristas que ali passavam. Ana Júlia Costa Sabino, de apenas 9 anos, segurava um cartaz, feito com um pedaço de papelão, com a frase: "Troco uma máscara por um alimento".

A situação sensibilizou um empresário, que fotografou a criança. Logo, a imagem viralizou nas redes sociais e motivou a redação do jornal O Globo a fazer uma reportagem.

À equipe do jornal carioca, o empresário disse que a intenção não era prejudicar a menina. "Resolvi fazer a foto, não para expô-la, mas para mostrar que ela é um símbolo da realidade do que muitas pessoas estão passando, e muita gente não está vendo esse problema", disse.

Ana Júlia, três irmãos, e a mãe Silvana, 30, foram às ruas pedir ajuda, após a última perder o emprego recentemente, devido à crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

O drama mobilizou a população do Rio. Muitas pessoas foram até o cruzamento em que Ana Júlia foi vista pela primeira vez para doar alimentos para sua família.

A deputada estadual Renata Souza (PSOL) colocou à disposição de Silvana os serviços da Comissão de Direitos Humanos da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), que inclui auxílio psicológico. O apresentador Luciano Huck, que gravou vídeo no Instagram pedindo auxílio para encontrar a menina, também ofereceu ajuda à família.

A família foi encontrada pela equipe do jornal na manhã da última quarta (13), e quem fez o registro foi a repórter-fotográfica Márcia Foletto, que trabalha n'O Globo desde 1991 e se sensibilizou com a história da menina.